Latido em excesso: como lidar com o problema?

latido-em-excesso

Por Malu Araújo, adestradora da equipe Cão Cidadão.

Uma queixa comum entre os proprietários de cães é o latido em excesso. O latido é a maneira de o cachorro se expressar e muitos são os motivos que podem levá-lo a isso. Mas, o excesso pode ser prejudicial não só para nós, humanos, que podemos ficar estressados com o barulho ou enfrentar problemas com vizinhos, mas para os cães também. Eles podem ficar constantemente ansiosos, o que pode até causar uma gastrite.

Apesar de algumas raças terem o hábito de latir mais do que outras, latir em demasiado não é normal, e o primeiro passo para mudar esse mau hábito é descobrir o motivo que leva o cachorro a latir tanto. Sempre que há uma mudança repentina de comportamento, devemos, primeiramente, consultar um médico veterinário, para descartar qualquer problema de saúde. Descartada qualquer dor e alteração, vamos verificar a causa comportamental.

Alguns cães aprendem a latir para chamar a atenção. Por exemplo, quando a família está comendo na mesa e o cachorro começa a latir, alguém joga um pedaço de comida. Pronto, o cachorro foi recompensado por latir. A melhor forma de lidar com cães com esse tipo de comportamento é sempre recompensar o cachorro por esperar, antes que ele comece a latir. Elogie e ofereça um petisco. Se ele latir, ignore, vire para outro lado.

Outros cães latem muito para visitas. É só chegar alguém diferente na casa que o cachorro late sem parar. Nesse caso, o cachorro pode latir porque é um pouco medroso e late para tentar afastar essa “ameaça”. Cães que agem dessa forma devem entender que as visitas são bacanas, para isso, sempre que uma pessoa diferente for visitá-lo, faça uma associação positiva.

Esteja preparado para, antes de abrir a porta para que a pessoa entre, oferecer ao cachorro um petisco. Peça para o convidado entrar e, se for uma pessoa que gosta de cães e que gostaria de participar do treino, ela própria pode oferecer um petisco.

Esses são só alguns exemplos, mas existem várias outras razões para os latidos excessivos. Para uma maneira específica de lidar com a situação, para determinar e tratar corretamente, conte sempre com a ajuda de um profissional especialista em comportamento.

Aprenda mais sobre o Maltês

maltes

Corajoso, carinhoso e brincalhão. Essas são algumas das principais características do Maltês, também conhecido por Bichon Maltês, um cão originário de Malta, que se tornou um dos toys mais populares no país.

De acordo com a Confederação Brasileira de Cinofilia, os ancestrais do Maltês viviam em portos e cidades marítimas centrais do Mediterrâneo, onde costumavam caçar os ratos dos armazéns dos portos e porões dos navios. Mas, com o tempo, caíram nas graças da nobreza, convivendo entre os membros da corte.

A raça é ainda considerada uma das mais antigas da Europa. Existem indícios que associam esses cãezinhos à época de Aristóteles (384- 322 A.C.). Acredita?

Erros mais comuns na hora do adestramento

O adestramento não tem a função apenas de ensinar truques ao pet. O objetivo principal é permitir que a relação entre o dono e o animal se mantenha harmoniosa, por meio da melhora da comunicação entre ambos.

Algumas dicas são importantes para não apenas evitar problemas durante o treinamento, como também fazer com que ele seja realmente eficaz.

Confira os erros mais comuns na hora do adestramento:

– Uso da palavra “Não”: não a utilize a todo o momento, pois, além de deixar o animal confuso, vai perder a sua eficácia.

– A bronca deve estar sempre associada ao comportamento errado e deve ser realizada assim que a ação ocorrer, e não depois.

– Muitas vezes, ao fazer algo errado, o cão está apenas querendo chamar a atenção. Cair nessa “armadilha” (por exemplo, correr atrás do animal para retirar um objeto de sua boca) reforçará esse comportamento.

– Nunca use violência física!