Seu pet faz xixi na borda do tapete?

No processo de aprendizado do treino sanitário, a evolução é gradual, e mesmo os pets que já estão com uma boa porcentagem de acertos podem errar ou ter “meios acertos”, ou seja, urinar na bordinha do tapete higiênico. Se identificou? Pois saiba que isso é completamente normal! Mas é possível amenizar o problema e tentar direcionar o xixi para dentro. Confira algumas dicas:

➡️ Aumente a área do banheirinho, grudando dois ou três tapetes com fita adesiva


➡️ Se necessário, dobre para baixo as bordas plásticas do tapetinho e só deixar disponível a parte absorvente


➡️ Outra opção é usar algum objeto pesado (como pedras ou tijolos) em partes das bordas, obviamente deixando ao menos uma “entrada” sem nada


➡️ Reforce o treino, ou seja, incentive-o a sempre ir até o local correto e o induza a entrar completamente no tapetinho antes de se aliviar.


➡️ Evite dar broncas no peludo, pois isso pode desencorajá-lo a buscar o tapetinho!

➡️ O ideal é seguir recompensando até os “meios acertos” no começo, mas depois, passe a ignorá-los e valorize apenas os acertos completos. Ou ainda é possível oferecer um petisco mais valioso em caso no centro do tapetinho e uma recompensa mais baixa caso o pet faça na borda.

Como entreter o pet no home office

Fazer home office pode ser um desafio para quem tem um ou mais cães em casa. Afinal, a maioria dos pets está acostumada a ter a nossa presença por mais tempo aos finais de semana, quando podemos dar bastante atenção e carinho a eles. Dessa forma, é importante saber entretê-los durante o dia! Confira algumas ideias:

➡ Ofereça uma das refeições ou pequenos pedaços de petisco num brinquedo dispenser que estimule o peludo a correr, empurrar e usar as patas para conseguir o alimento.

➡ Da mesma forma, existem ainda tabuleiros inteligentes com compartimento para petiscos e tapetes de forrageamento para esconder comida nos retalhos de tecido.

➡ Mas não é preciso gastar muito com isso! É possível usar itens reciclados como garrafas plásticas, caixas de ovo/leite, rolinhos de papel, retalhos de camisetas velhas e até toalhas. Sempre lembrando de supervisionar o animal nas primeiras interações.

➡ Disponibilize itens para cães roerem e destruírem, como ossos de nylon ou naturais e caixas de papelão.

➡ Nos intervalos de descanso, faça uma caça ao tesouro: espalhe alguns petiscos pela casa e incentive o pet a usar o faro para procurá-los. Comece deixando bem óbvio e aos poucos vá escondendo de verdade. Depois que ele pegar o jeito, tente com um brinquedo também!

➡ Teste se o pet se interessa por alguns programas de TV. Músicas também funcionam! O enriquecimento ambiental visual e sonoro também é muito importante para eles.

➡ Faça cubos de gelos com pedaços de petiscos ou frutas liberadas pelo veterinário e ofereça em dias quentes! Se quiser fazer numa forma maior, fica ainda mais legal!

➡ Já para a hora de uma reunião, ofereça um brinquedo de borracha com recheio pastoso, pois o pet pode se deliciar numa caminha ao seu lado, sem fazer muito barulho. Para aumentar o tempo de diversão, congele o brinquedo antes!

Como organizar a rotina do pet

Você sabe como organizar as atividades para proporcionar bem-estar ao pet e garantir que ele tenha tudo que ele necessita?

Para começar, é importante saber que ter uma rotina beneficia muito os cães! Mas não existe um cronograma padrão para todos eles, o que importa é conseguir, na maior parte dos dias, seguir certos horários e promover os estímulos necessários para os pets. Para ajudar, separamos a seguir as principais necessidades da espécie canina:

➡ Alimentação regrada: o alimento deve ser de qualidade e ofertado em no mínimo 2 porções diárias, em horários regrados. A quantidade deve ser pesada de acordo com o indicado pelo veterinário e a água deve estar sempre fresca e à vontade.

➡ Atividades físicas: independentemente da energia do animal, todos eles precisam se exercitar ao menos um pouco! Lembrando que o passeio não é a única alternativa (caso chova, por exemplo)! Bolinha, cabo-de-guerra e comandos de movimentos são ótimas opções.

➡ Atividades mentais: tente estimular o pet mentalmente ao menos uma vez ao dia! Comandos de obediência e limite funcionam muito bem, como “senta”, “deita”, “fica”, “não” e “vem”. Brincadeiras como caça ao tesouro e tabuleiros interativos também ajudam.

➡ Enriquecimento ambiental: os animais devem ter a oportunidade de expressar comportamentos naturais da espécie, como caçar seu alimento, farejar, cavar e estraçalhar. Por isso, brinquedos recheados e itens de roer são essenciais para o seu bem-estar!

➡ Momentos de relaxamento: assim como necessitam de atividades, eles também devem ter um descanso de qualidade – físico e mental. Ensinar o significado de “acabou” e inserir uma massagem relaxante no dia a dia são formas de ajudar o seu peludo a se acalmar.

Dicas para escovar o pelo do seu cão

Na semana passada, fizemos um post sobre queda de pelos dos pets, e uma das dicas para ajudar a reduzir o problema é escovar regularmente a pelagem. Contudo, nem todos os cães aceitam facilmente o procedimento, podendo ser um grande desafio para os tutores. Por isso, separamos algumas dicas a seguir:

➡ Primeiramente, identifique o tipo de pelagem do peludo (curta, média ou longa/ grossa ou fina) para adquirir a escova certa! Se necessário, peça ajuda do veterinário ou profissional de banho e tosa.

➡ Acostume o seu pet a ser manipulado gentilmente (com as suas mãos mesmo). Para isso, enquanto você o massageia (no chão, não no colo!), vá oferecendo grãos de ração ou pedacinho de petisco. Outra opção é oferecer um brinquedo recheado com algo pastoso.

➡ Sempre que ele se mostrar desconfortável com a manipulação, interrompa o movimento e também pare de oferecer comida. Espere alguns segundos e tente novamente. A ideia é que ele não seja forçado a nada e, aos poucos, goste de ser massageado porque rende coisas boas.

➡ Passe a fazer o exercício com a parte de trás da escova, sem as cerdas. Siga recompensando e associando o contato com a comida.

➡ Finalmente, passe a usar a escova da forma correta, tomando o cuidado para não machucar o animal, sempre verificando se ele está comendo, e interrompendo se mostrar sinais de desconforto!

➡ Com o passar dos treinos, ofereça menos recompensas alimentares e mais carinho e elogios, até se tornar um momento prazeroso por si só.

➡ Por fim, é importante que os tutores não encarem a escovação apenas como uma obrigação, pois esse sentimento certamente será transmitido ao peludo, Tente enxergar como um momento de interação, que pode envolver muita conversa e conexão.

O pelo do meu pet está caindo muito

Nessa época do ano, muitos tutores relatam que suas casas ficam tomadas pelos pelos de seus peludos. Pois saiba que, a não ser que a queda de pelos esteja excessiva a ponto de deixar falhas ou existam outros sintomas associados (casos em que o veterinário deve ser consultado!), isso é esperado! Com a chegada do outono no final deste mês, é chegado também o momento de troca de pelagem, o que significa que os pelos mais finos vão começar a cair bastante para darem lugar a pelos mais grossos que possam aguentar melhor as baixas temperaturas.

Esse fenômeno acontece também com a chegada da primavera, e a queda fica ainda mais evidente no caso de pets com pelagem curta, pois os pelos completam seu ciclo mais rapidamente e caem mais para se renovar.

A boa notícia é que assim que as temperaturas ficam mais constantes, a queda costuma diminuir. Ainda assim, há algumas estratégias para minimizar o problema no ano todo, como:

➡ Oferecer uma ração de qualidade (de preferência super premium) ou alimentação natural prescrita por veterinário nutrólogo


➡ Não dar banhos demais no animal para manter as barreiras naturais da pele

➡ Suprir as necessidades físicas e mentais do animal, para evitar estresse

➡ Escovar regularmente os seus pelos

Ensine seu cão a brincar de caça ao tesouro

Sempre falamos por aqui da importância de proporcionar atividades físicas e mentais para aumentar a qualidade de vida dos cães, não é mesmo?! E hoje, falaremos de uma brincadeira que estimula os pets das duas formas: a caça ao tesouro!

Essa simples atividade, além de divertir a família toda, ajuda o peludo a usar seus instintos naturais de faro e caça! E não são apenas os cachorros de determinadas raças que podem brincar, todos são capazes. Confira o passo a passo para ensiná-los:


➡ Escolha um local da casa sem objetos que quebrem ou ofereçam riscos ao animal.

➡ Peça o “fica” ao pet. Se ele não souber, peça para alguém segurá-lo ou prenda-o com uma coleira num ponto fixo ou atrás de um portãozinho pelo qual ele consiga te ver.


➡ Pegue alguns pedaços de petisco e os coloque, a princípio, em alguns locais bem à vista, como em cantos de parede, em cima do sofá ou perto da caminha.

➡ Use uma palavra de liberação como “procura” ou “ok” e incentive o peludo a ir atrás dos petiscos, apontando ou se posicionando perto deles.

➡ Cada vez que ele achar um pedacinho, elogie e dê carinho.

➡ Ao final da brincadeira, aumente a festa pra passar a mensagem que não há mais nada para procurar.

➡ Com a repetição e o uso de petiscos bem cheirosos, a tendência é que o cachorro passe a usar cada vez mais o faro e, assim, será possível realmente esconder os petiscos ou usar brinquedos no lugar deles.

Dicas para ensinar o cão a pegar o frisbee

Como sempre destacamos por aqui, a brincadeira é essencial para o desenvolvimento e bem-estar dos cães, ajudando a evitar problemas de comportamento e ainda estreitando o relacionamento com seus tutores.

Para quem tem pets mais agitados e atléticos (que costumam amar buscar bolinhas, por exemplo), o frisbee pode ser uma excelente forma de gastar a sua energia e, de quebra, proporcionar também um exercício divertido para a família toda! Confira a seguir algumas dicas:

➡ Comece com um frisbee mais maleável (como borracha) para evitar que o pet machuque a boca. Depois que ele estiver indo bem na captura, é possível trocar por um mais duro e resistente.

➡ Estimule o interesse do cão pelo objeto, fazendo movimentos divertidos e o incentivando a cheirar e pegar com a boca.

➡ Antes de iniciar a atividade, ensine o peludo a passar por trás das suas pernas, contornando-as, e se posicionar ao seu lado. Se precisar, use um petisco e insira um comando verbal como “por trás”.

➡ Depois, comece a brincadeira jogando o frisbee bem rente ao chão, para chamar atenção do cachorro e facilitar que o agarre.

➡ Peça ao pet o comando “por trás” e quando ele estiver chegando ao seu lado, jogue o frisbee numa altura razoável e vá aumentando aos poucos. Se sentir dificuldade, faça essa volta junto com o cachorro.

➡ Não se esqueça de elogiar e comemorar se ele conseguir pegar!

Cuidados com o pet no verão

As altas temperaturas do verão fazem com que a maioria dos tutores se sinta mais motivado a passear e fazer mais atividades ao ar livre com os seus peludos, o que é ótimo para a qualidade de vida da família toda. Contudo, a estação mais quente do ano também exige alguns cuidados especiais, confira abaixo:

➡ É essencial seguir as recomendações de passear apenas antes das 10h e após às 16h, além de sempre checar a temperatura do asfalto antes de sair. Também é importante ficar atento aos sinais do pet: se ele parece muito ofegante e procura sempre uma sombra, talvez seja hora de retornar para casa.

➡ Cães brancos de pelo curto ou com mucosas claras devem usar protetor solar ao serem expostos ao sol!

➡ Verifique com o veterinário antes de tosar o seu animal: existem muitas raças com subpelo feito para protegê-los do frio e do calor. Se for o caso, tosar pode prejudicar mais do que ajudar!

➡ Aumente a frequência da escovação para retirar os pelos mortos e, se o pet for entrar na piscina ou brincar com água, certifique-se de secar muito bem os pelos para evitar a proliferação de fungos e bactérias.

➡ Em casa, o peludo deve ter um local fresco, arejado e coberto para se abrigar. Também é preciso evitar deixá-lo no carro, mesmo com o ar condicionado ligado.

➡ A água deve ser trocada com mais frequência e pode ser complementada com pedras de gelo. É possível ainda oferecer frutas e brinquedos recheados congelados.

➡ Por fim, o antiparasitário deve estar em dia, pois a incidência de pulgas e carrapatos aumenta nessa época por causa do calor. Recomendamos utilizar produtos como o Bravecto, da @MSDFamiliaPET, que protege durante todo o ciclo da pulga e carrapato, eliminando-os do pet e do ambiente.

Dicas para o cão não pular nas visitas

Para quem tem cães em casa, receber visitas pode ser um desafio. Afinal, é comum que eles pulem bastante, chegando por vezes a assustar e machucar as pessoas.

Mas a boa notícia é que esse comportamento pode ser reduzido com estratégias simples e um pouco de paciência e dedicação! Confira algumas dicas:

➡ Considere aumentar os exercícios físicos (como passeios e brincadeiras intensas) e mentais (como treino de comandos), assim como os itens de enriquecimento ambiental. Inclusive, é importante organizar a rotina para exercitar o pet um pouco antes de a visita chegar.

➡ Todos da casa devem passar a evitar os pulos (pulando para trás e virando de costas, por exemplo). Mesmo que o pet consiga pular, ele só deve ganhar atenção e carinho quando estiver com as quatro patas no chão.

➡ É essencial também que todos entrem na casa de forma calma, sem excitar demais o animal – sejam moradores ou convidados.

➡ Todas as vezes em que você chegar em casa, antes do pet pular, peça o comando “senta” e recompense bastante para que vire um hábito. Se ele ainda não souber o comando, pegue um petisco e segure um pouco acima da cabeça dele e, assim que sentar, dê um pedaço. É possível também ensiná-lo a ir buscar um brinquedo para afastá-lo da porta.

➡ Conte com a ajuda de um amigo para passar esses treinos para uma situação real de chegada de visitas.

➡ Se o cãozinho ainda estiver em treinamento, é recomendado usar um portãozinho ou a guia para impedi-lo de pular nos convidados assim que entrarem. Assim, o pet pode cheirá-las e ir se acalmando antes que tenha acesso completo.

Como montar o enxoval do novo pet

A chegada de um novo pet envolve a compra de alguns itens para o seu conforto e bem-estar. Apesar da empolgação e das inúmeras opções disponíveis, é muito mais importante pensar na funcionalidade na hora da escolha e não apenas no estilo.

Por isso, separamos algumas dicas de como escolher os produtos:

➡Caminha: escolha o tipo (caminha, casinha, toca ou colchonete) de acordo com o clima do local. Prefira também itens mais simples, pois filhotes tendem a estragar as coisas nessa fase.

➡Comedouro e bebedouro: se o cão tem pelos longos, os potes rasos e largos são melhores, enquanto que pets maiores podem se beneficiar de pratinhos mais altos. Inox e cerâmica são os materiais mais resistentes e higiênicos.

➡Coleira: os filhotes crescem rapidamente, então invista em um modelo simples e leve de pescoço para carregar uma medalhinha de identificação. É bom também adquirir um peitoral confortável e uma guia para iniciar os treinos de passeio.

➡Cercadinho ou portãozinho: devem ser altos e resistentes. A área designada para o pet deve ter um tamanho que permita que se coloque a caminha, brinquedos e potes de um lado e banheirinho do outro.

➡Alimentação: a mais indicada são rações super premium ou alimentação natural prescrita por nutrólogo, mas é importante continuar oferecendo a comida que ele já vinha comendo e aos poucos ir misturando e fazendo a troca.

➡Superfície para o banheiro: tapetes higiênicos costumam ser mais aceitos, mas muitas vezes os cães vão preferir o que usavam no primeiro local que viveram (comumente, o jornal).

➡Brinquedos de diferentes funções: recomendamos itens para roer (nylon e borracha são os melhores), brinquedos que soltam comida, bolinhas (maiores que o tamanho da boca do pet) e bichinho de pelúcia (com olhos de tecido). Não tenha apego ou gaste muito nisso, pois a ideia é que estraguem mesmo, por isso, devem ser supervisionados.