5 sinais que seu pet pode estar sofrendo de ansiedade de separação

Você já notou que seu pet fica agitado ou triste quando você sai de casa? Ele pode estar sofrendo de ansiedade de separação!

A ansiedade de separação pode manifestar-se de diversas formas, e é importante estar atento aos sinais para garantir que seu pet receba o cuidado necessário.

Nas imagens a seguir, você encontrará os principais indicativos de que seu pet pode estar passando por isso. Confira!

  • Chora ou late quando você sai
  • Te segue pela casa toda o tempo todo
  • Fica muito inquieto quando você começa a se preparar pra sair
  • Faz muita festa quando você volta, mesmo que você tenha ficado fora por menos de 5 minutos
  • Não come nem bebe água na ausência

Seu cão faz xixi errado só na sua ausência? A Cão Cidadão pode te ajudar!

Muitos tutores relatam que seus pets acertam com frequência o banheirinho, mas costumam errar quando ficam sozinhos em casa. Esse tipo de comportamento pode ser causado por vários motivos, como: medo, falta de supervisão/falta de reforço e o principal: ansiedade de separação.

Isso mesmo! O sofrimento que o pet passa sozinho pode fazê-lo não conseguir segurar as necessidades. Para descobrir se é o caso, é importante ficar atento a outros sinais como arranhar portas e janelas, latir ou uivar, destruição, salivação excessiva e inquietação perto da saída.

Além disso, uma excelente estratégia é instalar câmeras pela casa para analisar como o peludo se comporta na sua ausência!

A partir dessa identificação, é possível trabalhar o problema, aumentar a porcentagem de acertos e trazer muito mais qualidade de vida pro pet.

Mas, calma, você não precisa fazer isso sozinho! Conte com a ajuda de um profissional da equipe da Cão Cidadão para não apenas identificar, mas também criar um plano de treino completo para o seu melhor amigo.

Seu pet acerta o xixi, mas erra o cocô? Veja 7 dicas

É comum os tutores reclamarem que seus pets aprenderam o local certo de fazer xixi, mas seguem errando o cocô. Isso acontece principalmente entre os filhotinhos, mas também pode se estender para a vida adulta dos cães.

Mas, calma, é possível, sim, ensinar o pet a fazer cocô no lugar certo. Confira 7 dicas:

1) Estabeleça horários de alimentação do pet que sejam compatíveis com a sua rotina, para que você possa estar sempre por perto quando ele for defecar e, assim, direcioná-lo e recompensá-lo caso acerte.

2) Siga recompensando normalmente os acertos de xixi e separe um petisco especial para os acertos de cocô.

3) Observe os locais onde o pet costuma fazer cocô e teste colocar banheirinhos nessas áreas. Muitas vezes, os cães preferem defecar em locais mais isolados e arejados.

4)Da mesma forma, existem pets que preferem fazer xixi e cocô em locais diferentes, então é importante manter o banheirinho anterior no lugar de sempre e adicionar outros pras fezes.

5) A maioria dos cães costuma rodar em volta de si mesmo na hora de fazer cocô, por isso, uma boa estratégia é aumentar a área dos banheiros, colocando mais tapetes higiênicos ou a superfícies escolhida.

6) Outra dica é disponibilizar uma superfície diferente para o cocô. Grama sintética ou natural funcionam bem!

7) É possível minar os locais com erros recorrentes (como tapetes decorativos) passando mais tempo com o pet no local e oferecendo a comida lá (cães preferem fazer as necessidades afastados de onde comem, dormem e brincam).

📲E não deixe de enviar uma mensagem para descobrir como nossos adestradores podem te ajudar com seu cachorro.

Seu cão é muito guloso? Veja 6 dicas para ajudar nisso!

Você mal coloca a comida no comedouro e o pet termina em poucos segundos, sem nem mesmo mastigar? Já teve algum alimento humano roubado da mesa ou pia? Precisa sempre lidar com o famoso olhar “pidão”?

Se você se identifica com essas cenas, saiba que esse comportamento não é nada saudável para os cães, pois pode causar problemas gastrointestinais, intoxicação alimentar e até mesmo obesidade, se acabarmos dando mais comida do que precisam ou alimentos que não são próprios para os pets.

Por isso, separamos a seguir algumas dicas para ajudar, confira:

1) Primeiramente, consulte o veterinário para verificar se o peludo está com a saúde em dia, no escore corporal correto e recebendo a quantidade de comida recomendada.

2) Aumente as atividades físicas e mentais diárias, para diminuir a ansiedade do pet.

3) Divida a quantidade diária em mais porções, ou seja, ofereça em 3 ou 4 vezes, em horários fixos. E não deixe disponível o dia todo!

4) Passe a servir de formas diferentes: em comedouros-brinquedo, em treinos e escondida pela casa como uma caça ao tesouro.

5) Ensine comandos como “senta”, “fica” e “ok” e use na hora das refeições para que ele se controle e só coma ao ser autorizado.

6) Logo antes das refeições da família, coloque o cão em uma caminha próxima da mesa e ofereça um brinquedo recheado. Se necessário, use um portãozinho para não deixá-lo com acesso à mesa. Ignore todos os pedidos de comida.

📲E conte com a equipe da Cão Cidadão para ajudar a educar o seu pet. Envie uma mensagem para saber mais.

Socialize seu filhote: 6 estímulos que ele precisa conhecer do jeito certo

Um dos assuntos que mais gera dúvida nos tutores é a socialização dos filhotes!

Primeiramente, é importante entender que existe um período chamado de socialização primária, que vai até os 3 meses nos cães e 2 meses nos gatos. Nessa fase, o cérebro do animal está mais curioso e predisposto a absorver novas informações. Ou seja, os estímulos que forem apresentados de forma positiva têm grandes chances de serem aceitos tranquilamente depois.

Por outro lado, uma má socialização pode causar problemas comportamentais no futuro, principalmente medo e agressividade. Por isso, é essencial que a socialização seja uma prioridade dos tutores assim que o filhote chegar à casa. Para ajudar, separamos nas imagens a seguir algumas apresentações importantes, confira:

1)  Barulhos: secador de cabelo, aspirador de pó, liquidificador, fogos e trovões (com sons da internet), etc.

2) Animais: da mesma espécie e de outras; filhotes, adultos e idosos.

3) Pessoas: bebê, criança, adulto e idoso; diferentes etnias, com deficiência, etc.

4) Manipulações: corte de unhas, escovação de pelos e dentes, limpeza de orelhas, aplicação de vacina, etc.

5) Objetos: guarda-chuva, vassoura e rodo, mangueira, bicicleta, patins e skate..

6) Ambientes: shopping center, praia, elevador, escada, restaurante…

Oportunidade única em Belém (PA)

Está pensando em mudar de carreira? Quer sair do escritório e dedicar-se a um trabalho que você faça com paixão? Se você é de Belém (PA) e ama animais, essa é a sua chance de transformar completamente sua vida profissional!

A Cão Cidadão, equipe de educadores pet, está oferecendo uma oportunidade única:

🐾Isenção da taxa inicial de franquia🐾

Fundada pelo Dr Pet, a Cão Cidadão é pioneira no uso de reforço positivo no treinamento, tendo como principal missão promover uma relação harmoniosa entre os animais e seus tutores. Ao se juntar à nossa equipe, você terá acesso a:

Treinamento exclusivo

Suporte contínuo

Flexibilidade na agenda e metas de faturamento

➡️Pronto(a) para mudar de vida e fazer o que ama? Entre em contato por mensagem e comece sua jornada com a gente!

Seu pet é idoso? Comente aqui

Mais uma semana começando e o tema de hoje é: velhice dos pets! O seu pet é idoso? Se sim, você sabia que existem vários cuidados especiais que ele precisa?

Isso inclui alimentação diferenciada, adaptação da casa, ajustes nos tipos de brincadeiras e treinos e mais visitas ao veterinário.

Mas isso não significa que eles não podem ter uma vida bacana, pelo contrário! Se desde a infância, o seu pet tiver as necessidades supridas e os seus comportamentos naturais estimulados, a tendência é que ele chegue à fase sênior com muita saúde e bem-estar!

Então, hoje queremos saber: qual é a idade do seu pet? E o que você faz pela qualidade de vida dele?

A Cão Cidadão deseja a todos uma excelente semana!

7 dicas para reduzir os latidos do seu cão

A verdade é que latir faz parte da natureza canina. Ou seja, dificilmente o comportamento pode ser 100% extinto – e nem seria saudável! Por outro lado, latidos em excesso podem incomodar a todos, além de indicar que o bem-estar do pet está comprometido e/ou que a comunicação com ele está falhando.

Dessa forma, o foco deve ser em trabalhar para reduzir o estresse do peludo e redirecionar a sua energia para atividades que lhe proporcionem mais qualidade de vida! Por isso, separamos a seguir algumas estratégias, confira!

1) Comece visitando o veterinário para um check-up, uma vez que problemas de saúde podem fazer o animal ficar mais sensível e latir mais. Recomendamos os profissionais do Centro Veterinário Seres.

2) Aumente a quantidade de passeios semanais e introduza outras atividades na rotina, como brincar de bolinha. Além disso, proporcione estímulos mentais como treino de comandos.

3) Enriqueça o ambiente para incentivá-lo a usar outros comportamentos além do latido. Brinquedos que soltam petisco (como Pet Ball e Kong) e caça ao tesouro são ótimas opções, além de itens para roer e até elementos naturais, como coco verde. Não se esqueça de supervisionar as primeiras interações!

4) Não reforce o comportamento! Não ofereça petisco para o pet parar e evite falar com ele no momento do latido, mesmo que seja para dar bronca. Prefira ignorar ou distraí-lo, correndo para outro lugar, por exemplo.

5) Diminua ou mude o som da campainha/interfone, vede portões/janelas e restrinja o acesso do cão a ambientes estimulantes (como a garagem).

6) Ensine-o a te chamar de outra forma, tocando a patinha em sua perna, por exemplo. Para isso, dê muita atenção (e petiscos, se quiser!) sempre que ele fizer o movimento escolhido.

7) Por fim, não deixe de contar com a orientação de um educador da Cão Cidadão para ajudar a identificar e montar um plano de treino completo para dessensibilizar os gatilhos dos latidos.

➡ Caso precise de ajuda da equipe Cão Cidadão, acesse o link da bio ou envie uma mensagem!

Machos castrados param de marcar território?

MITO

Embora a castração costume diminuir muito a probabilidade desse comportamento (principalmente se for feita antes da maturidade sexual do cachorro), existem muitos machos castrados que continuam demarcando em certas situações.

Isso acontece porque a glândula adrenal continua a produzir testosterona, ainda que em pequena quantidade, e pode ser suficiente para manter o comportamento.

Dessa forma, mesmo um animal castrado pode sentir necessidade de urinar com a chegada de uma pessoa ou animal desconhecido em seu território, por exemplo.

Por isso, é muito importante o treino de educação sanitária em todos os casos!

📲AGENDE UMA AVALIAÇÃO GRATUITA com a Cão Cidadão e veja como podemos te ajudar com seu pet: caocidadao.com.br (link também na bio)

Qual é o problema de comportamento do seu pet que mais te incomoda?

Seu cãozinho faz xixi pela casa toda? Late em excesso? Destrói os móveis? É agressivo com outros cães e pessoas? Ou chora quando fica sozinho?

E o seu gato? Arranha seus móveis? Faz xixi ou cocô fora da caixinha? Te morde quando você faz carinho?

Sabemos que os pets trazem inúmeras alegrias para as nossas vidas, mas é quase inevitável que surja algum desafio comportamental com eles. Afinal, eles são de espécies diferentes da nossa, com vários instintos naturais, e não nascem sabendo as regras da casa.

A boa notícia é que a Cão Cidadão está aqui para ajudar! 🎓✨ Nosso objetivo é ensinar comportamentos adequados para que todos vivam em harmonia, proporcionando uma excelente qualidade de vida para a família toda.

🐾 Compartilhe nos comentários qual é o problema de comportamento do seu pet que mais te incomoda.

NÃO VÁ AINDA!!

Agende agora mesmo uma primeira avaliação gratuita com orientações (on-line ou presencial) com um dos nossos adestradores!!