Curiosidades da Copa: Zakumi, o símbolo do África do Sul

curiosidade-leopardoQuem aqui se lembra do mascote da África do Sul, na Copa de 2010? Ou melhor, da mascote! Sim! A África do Sul foi o primeiro país sede a apresentar uma mascote para o Mundial.

Inspirado em sua rica fauna, o país escolheu Zakumi, uma fêmea de leopardo, para representá-lo. Ela trazia detalhes em verde, branco e dourado.

O mais interessante foi a simbologia do nome da mascote: “Za” significa África do Sul, enquanto “Kumi”, dez. Ou seja, “África do Sul é dez”.

Bacana, não?

Fonte: Portal Uol.

Um minuto de silêncio, muitos de superação

 

 

 

 

O falecimento de um familiar, de um amigo ou de um animal de estimação sempre é um momento muito duro para nós. Mas, quando você tem dois cães que convivem e têm uma forte ligação, e um deles acaba falecendo, o que fazer?

A vida continua

Antes de tudo, você precisa superar a dor. É normal sentir a perda, mas seu cão vai depender muito de você. Há uma grande chance de ele também sentir essa grande perda. Os cães também podem ter depressão, que faz tão mal a eles quanto às pessoas.

Atenção

Você vai precisar ter muita atenção com o seu cão. Conhecendo bem ele, você poderá notar se ele mudou alguns comportamentos: não vai à porta recepcionar você com tanta disposição, dorme mais tempo do que o habitual, diminuiu o consumo de comida e/ou água, tem menor interesse em brincadeiras ou passeios, por exemplo. Se houver mudanças como essas, a primeira coisa a fazer é consultar um veterinário, para avaliar se a alteração é decorrente de algum problema de saúde. Se não, é hora de estreitar ainda mais o relacionamento com seu cão.

Superação para todos

Vocês precisam incluir mais diversão, interação e novidades no dia a dia. Passeios em lugares novos, brincadeiras ou brinquedos diferentes ou com maior frequência, praticar um esporte juntos – pode ser corrida, trilha, andar de bicicleta ou esportes caninos, como o agility. O adestramento também pode fazer muito bem, por oferecer estímulos físicos e mentais. O mais importante é que essas atividades sejam divertidas para você e para o cão. Levá-lo para ter mais contato com outros cães, se ele não for reativo ou agressivo com os outros, pode ser muito interessante. Existem encontros de cães em parques, áreas cercadas específicas para os peludos ficarem soltos, e creches para pets.

Cuidados

Muitas pessoas acham que simplesmente adotar/comprar outro cão resolverá o problema. Atenção: cada animal é um animal. Pode ser que eles se adorem e a situação fique realmente melhor. Mas, a relação não será igual. E também há chance da relação ser conflituosa. Se mesmo com novas atividades seu bichinho continuar com os comportamentos alterados, consulte o veterinário para verificar se será necessário adotar alguma medicação ou tratamento.

Persistência

Essa superação não é tão simples e pode durar meses. Portanto, siga em frente, continue, encontre a motivação dentro de você. Se não conseguir, olhe para seu cachorro. Juntos, vocês vão passar por esse momento duro e fortalecer ainda mais seus laços.

Remédio para o pet: solução ou problema?

https://www.flickr.com/photos/frosch50/15719218338/
https://www.flickr.com/photos/frosch50/15719218338/

blog-autor-oliver-taguada-so

 

 

Para muitas pessoas, fazer o pet tomar um remédio é uma tarefa bastante sofrida. Mas, isso não precisa ser assim para você, muito menos para o seu animalzinho.

A primeira dica é não esperar que ele precise tomar remédio para acostumá-lo. Treine desde pequeno, para que essa seja uma situação normal e não uma novidade.

Comprimidos

Alguns medicamentos podem ser dados junto com um alimento, sem o animal precisar de jejum. Nesses casos, podemos colocar o remédio envolvido por alguma comida que ele goste e possa comer. Vale a pena pesquisar sobre petiscos especiais para colocar remédios e farmácias de manipulação veterinárias, que fazem remédios em formatos diferentes, como biscoitos, por exemplo.

Caso você não queira usar alimento ou o remédio não possa ser ingerido com comida, você pode acostumá-lo seguindo as dicas abaixo. Passando de uma orientação para outra somente quando o seu bichinho estiver tranquilo com a anterior.

• Pegue um petisco que o animal goste e segure na frente dele. Se ele tentar pegá-lo da sua mão, não deixe. Só leve o petisco até a boca dele quando ele estiver esperando.

• Acostume-o a receber esse petisco colocando a mão por cima do focinho, como se fosse abrir a boca dele. Mas, não abra!

• Comece a abrir a boca do pet e colocar o petisco na base da língua, próximo à garganta, fechando a boca em seguida. Não precisa empurrar o remédio goela abaixo.

• Repita isso várias vezes, para o pet associar esse processo a algo agradável. Assim que ele estiver tranquilo nos treinos, será mais fácil usar o remédio em vez do petisco.

• Nunca force seu bichinho durante esse processo. Caso ele esteja desconfortável, é melhor parar e tentar em outro momento.

Líquidos

• Se o remédio for líquido, comece o processo usando uma seringa – sem agulha – com um alimento pastoso por fora. Deixe o pet lamber.

• Coloque água ou um líquido gostoso – água de coco, por exemplo – na seringa, com o alimento pastoso por fora, para ele se acostumar com a sensação de receber o líquido pela seringa. Introduza a seringa pela lateral da boca dele.

• Repetindo várias vezes, seu pet irá se habituar com o processo e a hora do remédio ficará mais tranquila para todos.

Cuidados essenciais

Sempre consulte o veterinário de sua confiança para receber as orientações com relação ao que pode ou não ser associado ao remédio. E, caso você tenha um bichinho agressivo ou medroso, ou se tiver dificuldades, peça a ajuda de um especialista em comportamento animal.

Seu cachorro tem plaquinha de identificação?

placa-identificacao (1)Vai viajar com o pet para curtir o feriadão de Carnaval? O amigão já possui uma plaquinha de identificação?

Para muitos cãezinhos, o período de festas pode ser bastante estressante, pois eles têm que conviver com barulhos e fogos, os quais muitos não suportam. Alguns cachorros têm tanto medo que, na tentativa de encontrar um local para se esconder e se abrigar do barulho, acabam fugindo de casa.

Por isso, é muito importante manter a atenção no bichinho. Além disso, é fundamental que ele tenha e esteja sempre com a plaquinha de identificação – que deve ter o nome e o telefone dos responsáveis.

Assim, caso o animal eventualmente fuja ou se perca, você conseguirá localizá-lo mais facilmente.

Raças determinam o temperamento do cachorro?

Você é daqueles que acham que a raça determina o temperamento do cachorro?

Segundo o especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, é preciso tomar cuidado ao associar raças e comportamentos. Isso porque, cada raça tem diferentes indivíduos, assim como linhagens.

Animais de mesma raça podem, sim, manifestar temperamentos diferentes. Alexandre alerta que “dentro de uma mesma raça, podem ter cães dóceis e agressivos”. Nada de generalizar!

Mas, o que fazer? “Caso você não conheça a linhagem, procure as raças dóceis e, mesmo assim, faça um teste com os filhotes e conheça os pais. Tudo isso para evitar acidentes”, explica o especialista.

Confira aqui o áudio completo da entrevista.

Como escolher a casinha ideal para o cachorro?

Para os cachorros, a casinha é muito mais do que uma proteção contra a chuva e o vento forte. É o lugar onde eles se sentem completamente protegidos de tudo, um espaço realmente deles.

Portanto, até mesmo o cachorro que vive dentro de casa ou apartamento deve ter uma casinha. Mesmo que não a use constantemente, o simples fato de ela estar lá, proporcionará a ele uma tranquilidade de saber que existe um abrigo disponível para ser usado sempre que for preciso.

Dicas Tamanho

Sabia que os cães preferem casinhas a mansões? Isso mesmo! Para eles, tocas mais apertadas conferem mais seguranças do que espaços amplos. Por isso, ao comprar a casinha do pet, procure uma com espaços apenas para o cão ficar de pé e dar suas voltinhas antes de se deitar. Limpeza A limpeza da casinha deve ser feita constantemente!

Localização

Casinhas externas devem proteger o cão do vento e da chuva. Se não houver possibilidade de proteger a casinha do sol nas horas mais quentes, adquira uma com isolante térmico. Como o cão gosta de estar perto do grupo dele, ou seja, dos donos, o ideal é que a casinha fique em um local em que ele consiga facilmente te enxergar.

Cães que ficam do lado fora, por exemplo, gostam de se deitar próximo à porta e não no fundo do quintal. O lugar ideal para colocar a casinha é, portanto, bem próximo do local de entrada e saída das pessoas.

Você sabe como os cachorros reconhecem a passagem do tempo?

O especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, explica!

Os cães têm uma noção de tempo relativamente boa, porém, algumas vezes, as pessoas podem achar que que eles agem de maneira mais precisa do que realmente fazem.

Segundo o especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, os cachorros gravam os episódios que acontecem no dia a dia. “No domingo, por exemplo, há menos trânsito e o ar está mais puro. Os animais associam esses fatos e podem agir de forma diferente. Eles não ‘contam’ os dias, mas usam esses sinais para diferenciar um período do outro”.

Mas, por que eles fazem tanta festa quando os donos voltam para a casa, apesar de eles estarem ausentes por apenas alguns minutinhos? “Esse comportamento está associado à importância que o cachorro dá pela união do grupo”, explica Alexandre, que diz que essa atitude não está relacionada ao tempo de ausência, propriamente dito.

Ouça a entrevista completa que Alexandre Rossi seu sobre o tema, clicando aqui.

Entenda o olfato dos cães

olfatoOs cães são capazes de diferenciar e identificar odores que nós nem percebemos. Eles conseguem identificar e seguir os rastros de cheiro de pessoas passados vários dias.

Devido a essa tremenda capacidade os cães são utilizados para detectar drogas, perseguir ladrões pelo mato, seguir trilhas deixadas por animais e outras finalidades semelhantes.

Os cachorros possuem cerca de 200 milhões de receptores para odores, enquanto os humanos possuem somente cerca de 5 milhões, ou seja, 40 vezes menos do que os cães.

Fonte: Trecho tirado do livro Adestramento Inteligente, Alexandre Rossi.

Saúde bucal do animal

Hoje, 25 de outubro, comemora-se o Dia do Dentista. Aproveitando a ocasião, como é que anda a saúde bucal do seu pet?

Alguns donos podem se perguntar se realmente é necessário escovar os dentes dos cães. Sim, é!

Além da escovação melhorar o hálito do peludo, ela previne o tártaro, que contém muitas bactérias que podem causar sérios problemas de saúde ao seu amigo.

Para escovar os dentes do mascote, é necessário utilizar alguns acessórios: a pasta de dente, que deve ser aquela produzida especialmente para os animais – não utilize o produto de uso humano! – e uma “dedeira” de borracha, que é de fácil manuseio.

Nos primeiros dias, coloque um pouco de pasta no seu dedo mesmo e deixe o pet lamber. Faça sempre carinho e elogie. Depois de algumas repetições, coloque novamente a pasta no seu dedo e comece a fazer uma massagem na gengiva, com movimentos circulares. Depois de alguns dias, coloque a dedeira e, com calma e paciência, faça o mesmo movimento circular que você fez com seu dedo.

Certifique-se de que você conseguiu escovar todos os dentes e, se o cachorro ficar muito agitado, pare e retome a escovação em outro momento.

NÃO VÁ AINDA!!

Agende agora mesmo uma primeira aula gratuita (on-line ou presencial) com um dos nossos adestradores!!