Adestrando um cachorro com deficiência

adestramento-caes-deficienciaOs cachorros, assim como outros animais, possuem sentidos apurados, como a audição, o olfato e a visão.

Se o pet apresenta deficiência em algum desses sentidos, é possível utilizar outro para poder se comunicar com ele.

Visão

Se o cãozinho for cego, use o sentido da audição e do tato com ele. Por exemplo, sempre que ele tentar fazer algo que poderá machucá-lo, na hora em que ele pisar no local, o corrija falando um “não” e segurando a guia.

Faça esse treinamento repetidas vezes, pois, com o tempo e muito treino, toda vez que ele pisar no local, entenderá que não poderá ir além.

Audição

Se o cachorrinho for surdo, use o sentido da visão. Crie gestos, com os quais ele entenderá como “sim” ou “não”. Uma dica é utilizar o polegar para cima indicando que está certo ou um “sim” e, para baixo, como demonstração de algo que não pode ser feito ou um “não”.

Treinamento para animais com deficiência

Photo credit: jimnista / Foter / CC BY
Photo credit: jimnista / Foter / CC BY

Por Katia de Martino, adestradora da equipe Cão Cidadão.

Primeiramente, precisamos saber qual é o tipo de deficiência que seu cão tem, para nos adequarmos a ele. Isso é, os cães, como todos os outros animais, têm vários tipos de sentido, como audição, visão, olfato, tato, etc. E, se ele tem deficiência em algum sentido, usamos outro para poder nos comunicar.

Se seu cão for cego, por exemplo, use o sentido da audição e tato. Como fazer isso? Bom, vamos pensar que você tem uma piscina em casa e tem medo de que ele caia nela: podemos colocar algum tipo de piso ao redor da piscina (emborrachado, com alguma textura diferente), por o animal em uma guia longa, brincar e falar com ele em qualquer lugar que não seja nesse piso.

Na hora em que ele pisar nesse local, o corrigimos falando um “NÃO” e seguramos a guia. Com o tempo e muito treinamento, toda vez que seu cão pisar lá, entenderá que não pode ir além.

E se for um cão surdo?Usamos o sentido da visão. Criamos gestos, com os quais ele entenderá como “sim” ou “não”. Algo como “polegar para cima: positivo; polegar para baixo: negativo”.

Agora, se seu companheiro, ao invés de ter quatro patas, tiver três, não se preocupe. A adaptação dele será excelente e viverá como se tivesse quatro patas.

Fonte: Pet Center Marginal.

A sua importância para o adestramento do seu cão

importancia-dono-adestramento

blog-autor-oliver-taguada-so1

 

 

 

Um cachorro aprende a todo momento com as pessoas com quem convive, desde a primeira vez que se encontram. Isso significa que, mesmo sem perceber, os proprietários estão ensinando seu cão. O papel do adestrador é, então, ajudar as pessoas a ensinarem bons comportamentos aos seus animais, mas de forma consciente.

Nenhum cão aprende um bom comportamento de uma hora para outra. Ele precisa ser ensinado de maneira coerente e consistente. Imagine um jovem que está aprendendo uma nova matéria na escola para, depois, fazer uma prova. Quanto mais a matéria for praticada, em lições de casa e estudos, maior será a compreensão e a retenção do conteúdo. Na hora da prova, quando o conhecimento for exigido, o jovem estará melhor preparado.

Por isso, as técnicas e treinos indicados pelo adestrador de sua confiança devem ser seguidos diariamente, como parte da rotina do seu animal. Os cães adoram as aulas e seus adestradores porque eles têm momentos de interação com muita qualidade.

Como os adestradores precisam ganhar a confiança e desenvolver uma boa relação com os peludos, eles estão sempre preparados para recompensar os bons comportamentos e, de quebra, entreter os pets. Afinal, mesmo em uma brincadeira, é possível aprender muita coisa. Com o dia a dia corrido que a maioria das pessoas tem hoje, nem todos os proprietários conseguem oferecer essa interação com a mesma qualidade aos seus cachorros, o que influencia no relacionamento entre o animal e cada pessoa.

Por isso, lembre-se: seu cão é uma fonte de carinho, amor e diversão. Aproveite que ele está aprendendo a todo momento com você e o ensine a viver muito bem ao seu lado!

Dicas

• Procure um adestrador que ensine você a treinar. Afinal, é você que vive com o cão.

• Faça treinos consistentes, diários e que sejam agradáveis para você e seu pet. Aproveite as refeições dele para treinar também.

• Tenha sempre petisco ou brinquedo especial à mão, para poder recompensar o animal pelos bons comportamentos.

• Sua dedicação e paciência no começo resultarão em muito carinho, diversão e educação.

Ensinando o ‘senta’ para o pet

senta
Que tal ensinar alguns comandos para o pet?

Muito mais do que simples “truques”, os comandos podem ajudar os donos a melhorarem a comunicação com o bichinho.

Vamos começar pelo “senta”?

Esse comando, por exemplo, é um dos mais simples e muito útil no dia a dia. Ensinar o cachorro de forma positiva, utilizando um petisco para induzi-lo ao movimento, é uma dica bastante importante. Assim, a obediência acabará se tornando prazerosa!

Segure um petisco próximo ao focinho dele e faça um movimento levando a mão para a parte traseira do cachorro. Ele tentará acompanhá-la e se sentará, para ficar em uma posição melhor.

Assim que ele se sentar, entregue a recompensa e repita o movimento algumas vezes. Quando o cachorro estiver sentando mais rapidamente e parecer já ter assimilado o comando, diga, juntamente com o movimento, a palavra “senta”. Dessa forma, ele aprenderá o comando gestual e verbal.

Aproveite as dicas e treine o pet! 

Erros mais comuns na hora do adestramento

O adestramento não tem a função apenas de ensinar truques ao pet. O objetivo principal é permitir que a relação entre o dono e o animal se mantenha harmoniosa, por meio da melhora da comunicação entre ambos.

Algumas dicas são importantes para não apenas evitar problemas durante o treinamento, como também fazer com que ele seja realmente eficaz.

Confira os erros mais comuns na hora do adestramento:

– Uso da palavra “Não”: não a utilize a todo o momento, pois, além de deixar o animal confuso, vai perder a sua eficácia.

– A bronca deve estar sempre associada ao comportamento errado e deve ser realizada assim que a ação ocorrer, e não depois.

– Muitas vezes, ao fazer algo errado, o cão está apenas querendo chamar a atenção. Cair nessa “armadilha” (por exemplo, correr atrás do animal para retirar um objeto de sua boca) reforçará esse comportamento.

– Nunca use violência física!

NÃO VÁ AINDA!!

Agende agora mesmo uma primeira avaliação gratuita com orientações (on-line ou presencial) com um dos nossos adestradores!!