Um minuto de silêncio, muitos de superação

 

 

 

 

O falecimento de um familiar, de um amigo ou de um animal de estimação sempre é um momento muito duro para nós. Mas, quando você tem dois cães que convivem e têm uma forte ligação, e um deles acaba falecendo, o que fazer?

A vida continua

Antes de tudo, você precisa superar a dor. É normal sentir a perda, mas seu cão vai depender muito de você. Há uma grande chance de ele também sentir essa grande perda. Os cães também podem ter depressão, que faz tão mal a eles quanto às pessoas.

Atenção

Você vai precisar ter muita atenção com o seu cão. Conhecendo bem ele, você poderá notar se ele mudou alguns comportamentos: não vai à porta recepcionar você com tanta disposição, dorme mais tempo do que o habitual, diminuiu o consumo de comida e/ou água, tem menor interesse em brincadeiras ou passeios, por exemplo. Se houver mudanças como essas, a primeira coisa a fazer é consultar um veterinário, para avaliar se a alteração é decorrente de algum problema de saúde. Se não, é hora de estreitar ainda mais o relacionamento com seu cão.

Superação para todos

Vocês precisam incluir mais diversão, interação e novidades no dia a dia. Passeios em lugares novos, brincadeiras ou brinquedos diferentes ou com maior frequência, praticar um esporte juntos – pode ser corrida, trilha, andar de bicicleta ou esportes caninos, como o agility. O adestramento também pode fazer muito bem, por oferecer estímulos físicos e mentais. O mais importante é que essas atividades sejam divertidas para você e para o cão. Levá-lo para ter mais contato com outros cães, se ele não for reativo ou agressivo com os outros, pode ser muito interessante. Existem encontros de cães em parques, áreas cercadas específicas para os peludos ficarem soltos, e creches para pets.

Cuidados

Muitas pessoas acham que simplesmente adotar/comprar outro cão resolverá o problema. Atenção: cada animal é um animal. Pode ser que eles se adorem e a situação fique realmente melhor. Mas, a relação não será igual. E também há chance da relação ser conflituosa. Se mesmo com novas atividades seu bichinho continuar com os comportamentos alterados, consulte o veterinário para verificar se será necessário adotar alguma medicação ou tratamento.

Persistência

Essa superação não é tão simples e pode durar meses. Portanto, siga em frente, continue, encontre a motivação dentro de você. Se não conseguir, olhe para seu cachorro. Juntos, vocês vão passar por esse momento duro e fortalecer ainda mais seus laços.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn