Meu cão não gosta de passear: o que fazer?

o-que-fazer-nao-quer-passear

Por Carolina Fraga, adestradora da equipe Cão Cidadão.

É verdade que a maioria dos cães adora passear. Mas, o contrário também acontece: existem cães que não gostam de passear. Entre algumas possíveis razões, esse comportamento pode acontecer pelo fato de o animal estar com alguns quilinhos a mais e, assim como nós quando estamos fora de forma, não cria coragem para fazer alguma atividade física.

Antes de tudo, verifique se o cão está com o peso ideal. Veja se ele tem uma cinturinha, se ao tocá-lo está fácil de sentir suas costelas – cuidado ao analisar os animais de pelo longo, que podem nos confundir. Caso o pet esteja com a silhueta redonda, comece fazendo um regime no animal. De certo, esses quilos a menos trarão mais saúde, agilidade e disposição.

O problema também pode estar associado a um caso de timidez ou medo. Para os cães mais reservados, pode ser um desafio sair de casa em meio a tantos barulhos, pessoas ou até mesmo outros cães indo e vindo em todas as direções.

Se não for um caso muito extremo, você pode começar aumentando os estímulos, incentivando-o e oferecendo petiscos especiais, que ele só ganhará na hora do passeio. Leve-o de carro para algum lugar diferente ao invés do mesmo quarteirão de sempre, ou ainda, combine com algum amigo ou vizinho um passeio em dupla ou em grupo.

Dica: se seu cão já se esconde assim que você mostra a guia, além das dicas acima, é interessante comprar uma nova guia. Afinal, tantas associações negativas foram relacionadas a ela que já são suficientes para fazê-lo desistir do passeio, antes mesmo de sair de casa.

Não sai de casa

Agora, se seu cão se recusa a sair de casa e nos últimos passeios você teve que arrastá-lo, você vai precisar acostumá-lo com a rua. Faça um treino gradual, associando à rua a algo muito positivo, como petiscos ou brincadeiras.

Você deve começar trabalhando com a nova guia, recompensando inicialmente por ele ter olhado para ela. Passe a recompensá-lo também a cada aproximação que ele der em direção à guia, por tocá-la e cheirá-la. Por fim, tire e coloque a guia várias vezes do cão, mas ainda não saia de casa, sempre recompensando o animal ao colocá-la e tirá-la dele. Assim, cada vez que ele se deparar com a guia, vai interpretá-la como uma maneira de ganhar petiscos ou o brinquedo favorito.

Na sequência, encoraje-o a dar algumas voltas dentro de casa, mas tome cuidado para não puxá-lo ou deixar a guia tensa. Faça pequenos passeios dentro de casa, recompensando conforme você for aumentando esse passeio, para que seja algo muito divertido. Passe perto da porta de saída da rua, que nesse momento do treino deverá estar fechada. Pare próxima a ela por cerca de 5 a 10 segundos, e volte para dentro. Recompense e faça muita festa.

Quando ele já estiver bem confortável nessa fase, peça para alguém abrir a porta por fora. Enquanto isso, você estará com ele preso na guia, mantendo uma boa distância, mas em algum ponto da casa que ele consiga ver a porta aberta. Recompense.

Veja se ele se sente confortável com a situação. Em caso positivo, dê alguns passos em direção à porta, mas volte para dentro. Em caso negativo, feche a porta e retome a última parte do treino, até que ele se sinta confortável ao ver a porta ao menos com uma pequena brecha aberta. Vá abrindo aos poucos.

Aproxime-se da porta aberta aos poucos, ainda voltando para dentro, recompensando cada vez que se aproximar. É importante ter sensibilidade para verificar se o cão está confortável durante os exercícios, e o treino deve acabar de maneira sempre muito positiva. Apenas algumas idas até a porta por dia, de preferência em horários calmos, são suficientes. Se puder, fracione o treino em diferentes períodos do dia.

Quando o cão já estiver bem à vontade ao andar muito próximo da porta de saída, experimente dar alguns passos em direção à rua. Se ele te acompanhar, dê apenas um ou dois passinhos na rua e volte correndo, da maneira mais divertida possível. Se ele curtir, saia novamente e aumente mais um ou dois passos, e volte para dentro. É muito importante que ele retorne antes de se sentir inseguro ou desconfortável, por isso, um horário tranquilo é fundamental. Se possível, peça para que alguém se certifique de que não há nada na rua que vá assustá-lo.

Continue fazendo esse treino, aumentando a distância aos poucos. Conforme o cão for se sentindo à vontade, tente colocar diversão no passeio, como petiscos diferenciados, a bolinha predileta do pet, ou ainda promova um encontro na rua com alguém da família que ele goste muito. Não se esqueça de voltar sempre enquanto o cão ainda estiver feliz e cuidar para que nada desagradável ocorra, pois, caso contrário, todo esse treino pode ser prejudicado.

Dica: esse treino pode parecer um pouco longo, por isso, estabeleça objetivos “menores” e comemore cada vitória, para que você e seu cão não se sintam frustrados e desistam antes de alcançar o sucesso. Paralelamente, treine de forma individual caso exista algo específico que seu cão não goste no passeio, como barulhos e a aproximação de pessoas ou cães, fazendo treinos de dessensibilização e contracondicionamento.

Boa sorte!!

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn