Cães que empacam durante o passeio

dicas_interna-caes-q-empacam

A hora do passeio é um dos momentos mais divertidos e estimulantes da vida do cachorro. É o instante do dia em que ele pode conhecer outros animais, é exposto a diversos cheiros e, ainda por cima, passa um tempinho ao lado do tutor.

Porém, nem todos os amigos de quatro patas curtem passear. Alguns cães acabam “empacando” durante as voltinhas e, apesar de ser uma cena bastante comum, no geral, os donos não sabem como lidar com esse problema. “Existem vários motivos que podem fazer seu cão parar durante o passeio. Pode ser, por exemplo, por medo de algum estímulo diferente, algum barulho muito alto ou por perceber que o passeio está no fim”, explica Amanda Ornellas, adestradora da Cão Cidadão.

Como lidar

Nesse momento, é importante que o dono tenha sensibilidade e, acima de tudo, respeito pelos limites do animal. “Lembre-se de não arrastar o cão. A atitude pode machucá-lo ou traumatizá-lo, principalmente se o motivo da parada for medo. É importante que o cão se sinta seguro e confortável ao seu lado”, recomenda Amanda.

O ideal é que o tutor sempre carregue no passeio uma porção de petisco ou um brinquedo que o pet goste muito. A ideia aqui é estimular, de forma positiva, a vinda espontânea do bicho até você no trajeto. Quando ele obedecer, recompense-o com petiscos, carinhos ou brincadeiras. Aos poucos, ele perceberá que sempre que você o chama e ele te obedece, ele sai ganhando.

Dicas

• Faça caminhadas menos longas e em horários em que o clima esteja ameno. Aumente a permanência do passeio de forma gradual, até entender qual é o tempo ideal para que a caminhada como pet seja uma atividade física consistente, agradável e positiva, sem deixar o animal exausto.

• Preze pela saúde e pela segurança de seu cão: fazer um passeio longo sob o sol do meio-dia não será benéfico. Inclusive, a probabilidade de que seu cachorro sofra danos como queimaduras nas patas e exaustão pelo calor, pode fazer com que ele empaque pelo caminho.

• É essencial proporcionar situações seguras e que facilitem que animal obtenha sucesso. Dessa forma, ele fará associações positivas com esses momentos.

O adestramento é essencial, pois ajuda o tutor a identificar esses limites e também a entender por qual razão o cão empaca, pois cada caso é um caso. Além disso, o adestramento auxiliará o tutor a desenvolver uma comunicação mais clara e efetiva com o animal, aumentando o grau de confiança entre ambos, tornando o relacionamento ainda melhor e, consequentemente, fazendo com que o passeio seja mais tranquilo e prazeroso.

Gostou da dica? Se quiser contratar os profissionais para realizar o adestramento, fale com a Central de Atendimento da Cão Cidadão, pelos telefones: (11) 3571-8138 (São Paulo) e (11) 4003-1410 (demais localidades).

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dicas para deixar o passeio com o pet mais divertido

dicas_interna_passeio_divertido_com_o_pet

O cão que passeia regularmente, frequentando parques, praças e ruas, tem a oportunidade de encontrar outros amigos, tornando-se cada vez mais sociável, recebe diversos estímulos e, ainda, coloca os seus instintos em ação.

Aproveite essas dicas para tornar as voltinhas mais prazerosas e tranquilas!

1. Conduza o seu pet sempre pela guia. Não é totalmente seguro deixá-lo solto.

2. Use uma placa de identificação no seu amigão. Qualquer descuido poderá resultar em uma fuga.

3. Leve água e petiscos para o pet. É importante que ele esteja sempre hidratado e que receba recompensas pelo bom comportamento.

4. Cuidado com os horários em que você costuma sair de casa para o passeio. Lembre-se de que cães não usam sapatos e as suas patas podem sofrer queimaduras em função do asfalto quente.

5. Leve os brinquedos que ele mais gosta e tire um tempinho para parar no parque e realizar brincadeiras com o seu cãozinho. Assim, ele poderá interagir com outros animais e se divertir com os seus objetos favoritos.

Agora é só aproveitar o ar livre para se divertir com seu mascote. Boa sorte!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Palestras gratuitas na Petz, neste fim de semana

petz-melhorando-passeioPreparados para um fim de semana lotado de palestras e eventos? Confira abaixo a nossa programação!

Aula sobre como melhorar o passeio

Passear com o cão é um desafio e tanto? Seu cão é do tipo que não fica quieto de forma alguma: corre para um lado, late para o outro, tenta morder e atacar todo mundo e não para de te puxar? Você, então, deve estar buscando dicas básicas para realizar um bom passeio, certo?.

A equipe Cão Cidadão fará neste sábado, 18 de julho, às 17h, uma aula gratuita com dicas sobre como melhorar o passeio com o pet. O evento acontecerá na Petz do Morumbi, em São Paulo. Participe!

Palestra sobre agressividade

O seu pet anda apresentando um comportamento agressivo? Bom, o primeiro passo é identificar o tipo de agressividade que o animal manifesta: posse, territorial, medo ou dominância. Entenda melhor aqui.

Para ajudar os donos que sofrem com esse problema, o especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, fará uma palestra gratuita neste domingo, 19 de julho, às 13h, na inauguração da loja Petz da Mooca, em São Paulo. O evento é gratuito!

Confira os detalhes em Agenda. 

 

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Problemas durante o passeio

Photo credit: akk_rus / Modern Furniture / CC BY
Photo credit: akk_rus / Modern Furniture / CC BY

Por Malu Araújo, adestradora e consultora comportamental da equipe Cão Cidadão.

O passeio é uma hora que o pet passa mais tempo com o dono, encontra outros animais na rua, sente o cheiro de muitas coisas diferentes e sons diferentes. Difícil o cachorro que não goste de um bom passeio. Mas, para todos curtirem esse momento tão bacana do dia, alguns cuidados são necessários.

Leve seu peludo para passear sempre de coleira e guia. Cachorro solto não é sinônimo de liberdade e sim de risco. Os cães podem se interessar por qualquer estímulo e ir atrás (seguir um passarinho, outro cão, algum conhecido), podem comer alguma coisa do chão, se aproximar de algum cão reativo correndo o risco de sair uma briga, enfim, os riscos não valem a pena. Existem parques com áreas para os cães ficarem soltos com segurança. A coleira deve sempre conter a plaquinha de identificação com o telefone de contato.

Uma reclamação constante dos tutores é que os cães puxam muito, mas esse comportamento pode ser corrigido com aulas de adestramento. Também existem algumas coleiras que podem ajudar a melhorar essa postura.

Outro comportamento que pode se tornar um problema são os cães reativos com outros cães ou pessoas, e isso não deve se tornar uma desculpa para sair menos ou deixar de sair com seu cachorro. Cães que latem ou são agressivos durante o passeio devem passar por um treinamento com reforço positivo, para que passem a ver os cães, pessoas ou qualquer outra coisa que o incomoda como algo agradável. Se esse é o seu caso, conte com o auxílio de um profissional especialista em comportamento.

Vale lembrar que o passeio deve ser feito no horário mais fresco do dia, pois o chão muito quente pode causar ferimento na pata do seu amigo e, principalmente, em raças de focinho curto. O horário de sol mais intenso pode causar problemas respiratórios.

Fonte: Mercearia do Animal.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Problemas durante o passeio

passeio

O seu cãozinho é do tipo que não pode sair de casa que já começa a te puxar? Ele late para todos os cães, corre e te puxa para cima e para baixo? Bom, se o seu pet demonstra alguns problemas durante o passeio, fique tranquilo, certamente ele não é o único. Com algumas dicas, você conseguirá melhorar bastante esse comportamento e o passeio ficará cada vez mais prazeroso.

Quando o cão puxa no passeio

É preciso entender sempre que o passeio começa em casa. Se o seu cão fica muito agitado ao ver você pegando a guia, espere que ele se acalme para, então, colocar a coleira.

Pedir o comando senta é muito útil também. Tente sempre fazer todos os procedimentos com muita calma e tempo: colocar a guia, passar entre as portas e portão de saída. Com isso, seu cão vai ficar cada vez menos ansioso nessas etapas. Deixando, assim, o passeio mais tranquilo.

Ao sair na rua

Toda vez que ele te puxar, tente mudar de direção sem que ele veja, fazendo um zigue-zague. Isso faz com que ele fique mais atento a você e perceba que é você quem o está conduzindo.

Utilizar um brinquedo ou um petisco para fazer com que o cão siga esse estímulo, também é uma opção para ele não puxar. Sempre que o seu peludo estiver ao lado, fale a palavra “junto”, mas se lembre de falar o comando só quando ele estiver andando corretamente. Muitas pessoas ficam falando “junto” quando o cão está lá na frente, mas eles não entendem e acham que estão agindo da forma correta.

Quando o cão não quer andar na rua

Leve um petisco que o cão goste muito e só dê a ele na rua. Isso associa a rua a algo positivo. Chame o cão e o recompense enquanto estiver andando. Parou de andar? Estimule-o a caminhar e o recompense quando ele estiver andando novamente.

Confira aqui mais dicas para ter um passeio tranquilo.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Cão Cidadão realiza aula gratuita sobre passeio

Photo credit: MarkScottAustinTX / Foter / CC BY-SA
Photo credit: MarkScottAustinTX / Foter / CC BY-SA

Já pensou poder passear tranquilamente com o seu pet? Para muitos donos isso seria um sonho, para outros, essa prática já é uma realidade.

É comum alguns tutores reclamarem que o pet não o obedece durante o passeio e que, às vezes, levá-lo para passear é um tormento. Mas, sabia que com paciência e algumas dicas é possível melhorar esse comportamento? Sim, isso mesmo. A Cão Cidadão pode te ajudar nisso!

Neste sábado, 21 de março, às 17h, a equipe de adestradores da Cão Cidadão realizará uma aula gratuita com dicas para os donos que querem melhorar o passeio com o pet. O evento será realizado na Pet Center Marginal, em São Paulo (SP).

Para participar, não é necessário fazer a inscrição. Só é preciso chegar no horário marcado.

Separe as suas principais dúvidas e participe. Esperamos por vocês!

Confira mais informações em Agenda.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Cães que puxam durante o passeio

caes-que-puxam

Por Malu Araújo, adestradora e consultora comportamental da equipe Cão Cidadão.

Para alguns tutores, passear com o cão chega a ser um sacrifício, principalmente, para aqueles que têm cães que puxam durante o passeio. Neste caso, a atividade se torna cansativa e a solução encontrada por algumas pessoas é deixar de passear com o cão. Essa escolha deixa o peludo mais ansioso e, quando ele voltar a passear, puxará ainda mais, já que aquela atividade já não faz parte da rotina.

O passeio pode e deve ser um momento agradável para todos. E, sim, é possível mudar esse comportamento independentemente da idade do seu cão. Hoje, o mercado pet tem uma variedade de coleiras que podem ajudar nesse treino. Um desses modelos é o “peitoral de engate frontal” ou “peitoral de treinamento”, que tem o engate para a guia localizado na parte da frente da coleira, no peito do cão, e ele tem a função de frustrar a tentativa de ele de puxar.

Existe também a “coleira cabresto” ou “coleira de cabeça”, que controla a direção do cachorro – ela é, muitas vezes, confundida com uma focinheira, mas ela não tem esse intuito, a função dela é guiar o cão. Ambos os equipamentos auxiliam no treinamento, mas algumas ações também são necessárias, por exemplo, utilizar a técnica do zigue-zague, que é mudar de direção quando o seu cachorro puxa, e só continuar a caminhada quando ele estiver com a guia frouxa.

Induzir o cachorro utilizando um brinquedo ou um petisco, e fazer com que ele siga esse estímulo, também é uma opção para ele não puxar. Sempre que o seu peludo estiver ao lado, fale a palavra “junto”, mas lembre de falar o comando só quando ele estiver andando corretamente. Muitas pessoas ficam falando “junto” quando o cão está lá na frente, mas eles não entendem e acham que estão agindo da forma correta.

Utilizando essas técnicas e esses acessórios, é possível ter um passeio agradável com o seu amigão. Se você tiver dificuldade ou dúvida, não hesite em procurar auxílio de um profissional, e não deixe de oferecer essa importante atividade ao seu cachorro.

Fonte

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Passear de carro: confira alguns cuidados

Photo credit: nikoretro / Foter / CC BY-SA
Photo credit: nikoretro / Foter / CC BY-SA

Passear de carro com o cãozinho exige atenção e alguns cuidados com a segurança e o conforto dele. Para tornar o passeio agradável para toda a família, separamos alguma dicas simples, mas que podem fazer toda a diferença. Confira!

Segurança

Primeiro passo: o seu carro conta com um cinto de segurança próprio para pets? Pode ser um cinto estilo peitoral, desde que ele seja bem resistente. Prenda-o em ponto fixo do carro, que não permita que o cão salte ou pule no seu colo enquanto estiver dirigindo. Se você não tiver o acessório, mantenha o bichinho confortavelmente instalado dentro da caixa de transporte. O seu cão já está habituado à caixa? Se não, confira aqui algumas dicas!

Importante: nunca deixe o pet solto no carro! Evite acidentes!

Acesso à janela

Não deixe o seu cão ter acesso total à janela, pois eles podem tentar colocar a cabeça para fora e isso pode comprometer a segurança dele. Além disso, ao colocar a cabeça para fora do veículo, algum bichinho pode bater no olho dele ou entrar no nariz, o que pode machucar ou incomodar o pet.

 

Medo de passeio

Se o seu cão é do tipo que não gosta de passear de carro, pois fica com medo ou enjoado sempre que entra no automóvel, é preciso tomar algumas providências para ajudá-lo.

Não o leve para passear de carro, por exemplo, apenas quando for ao veterinário. Dê voltas pelas ruas próximas a sua casa, vá ao parque, visite alguns amigos – sempre respeitando os limites dele! Assim, ele associará essa prática com algo bom e perderá o medo que tem de passear de carro.

Confira mais algumas dicas sobre cães e carros em nosso espaço “Dicas”!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Meu cão não gosta de passear: o que fazer?

o-que-fazer-nao-quer-passear

Por Carolina Fraga, adestradora da equipe Cão Cidadão.

É verdade que a maioria dos cães adora passear. Mas, o contrário também acontece: existem cães que não gostam de passear. Entre algumas possíveis razões, esse comportamento pode acontecer pelo fato de o animal estar com alguns quilinhos a mais e, assim como nós quando estamos fora de forma, não cria coragem para fazer alguma atividade física.

Antes de tudo, verifique se o cão está com o peso ideal. Veja se ele tem uma cinturinha, se ao tocá-lo está fácil de sentir suas costelas – cuidado ao analisar os animais de pelo longo, que podem nos confundir. Caso o pet esteja com a silhueta redonda, comece fazendo um regime no animal. De certo, esses quilos a menos trarão mais saúde, agilidade e disposição.

O problema também pode estar associado a um caso de timidez ou medo. Para os cães mais reservados, pode ser um desafio sair de casa em meio a tantos barulhos, pessoas ou até mesmo outros cães indo e vindo em todas as direções.

Se não for um caso muito extremo, você pode começar aumentando os estímulos, incentivando-o e oferecendo petiscos especiais, que ele só ganhará na hora do passeio. Leve-o de carro para algum lugar diferente ao invés do mesmo quarteirão de sempre, ou ainda, combine com algum amigo ou vizinho um passeio em dupla ou em grupo.

Dica: se seu cão já se esconde assim que você mostra a guia, além das dicas acima, é interessante comprar uma nova guia. Afinal, tantas associações negativas foram relacionadas a ela que já são suficientes para fazê-lo desistir do passeio, antes mesmo de sair de casa.

Não sai de casa

Agora, se seu cão se recusa a sair de casa e nos últimos passeios você teve que arrastá-lo, você vai precisar acostumá-lo com a rua. Faça um treino gradual, associando à rua a algo muito positivo, como petiscos ou brincadeiras.

Você deve começar trabalhando com a nova guia, recompensando inicialmente por ele ter olhado para ela. Passe a recompensá-lo também a cada aproximação que ele der em direção à guia, por tocá-la e cheirá-la. Por fim, tire e coloque a guia várias vezes do cão, mas ainda não saia de casa, sempre recompensando o animal ao colocá-la e tirá-la dele. Assim, cada vez que ele se deparar com a guia, vai interpretá-la como uma maneira de ganhar petiscos ou o brinquedo favorito.

Na sequência, encoraje-o a dar algumas voltas dentro de casa, mas tome cuidado para não puxá-lo ou deixar a guia tensa. Faça pequenos passeios dentro de casa, recompensando conforme você for aumentando esse passeio, para que seja algo muito divertido. Passe perto da porta de saída da rua, que nesse momento do treino deverá estar fechada. Pare próxima a ela por cerca de 5 a 10 segundos, e volte para dentro. Recompense e faça muita festa.

Quando ele já estiver bem confortável nessa fase, peça para alguém abrir a porta por fora. Enquanto isso, você estará com ele preso na guia, mantendo uma boa distância, mas em algum ponto da casa que ele consiga ver a porta aberta. Recompense.

Veja se ele se sente confortável com a situação. Em caso positivo, dê alguns passos em direção à porta, mas volte para dentro. Em caso negativo, feche a porta e retome a última parte do treino, até que ele se sinta confortável ao ver a porta ao menos com uma pequena brecha aberta. Vá abrindo aos poucos.

Aproxime-se da porta aberta aos poucos, ainda voltando para dentro, recompensando cada vez que se aproximar. É importante ter sensibilidade para verificar se o cão está confortável durante os exercícios, e o treino deve acabar de maneira sempre muito positiva. Apenas algumas idas até a porta por dia, de preferência em horários calmos, são suficientes. Se puder, fracione o treino em diferentes períodos do dia.

Quando o cão já estiver bem à vontade ao andar muito próximo da porta de saída, experimente dar alguns passos em direção à rua. Se ele te acompanhar, dê apenas um ou dois passinhos na rua e volte correndo, da maneira mais divertida possível. Se ele curtir, saia novamente e aumente mais um ou dois passos, e volte para dentro. É muito importante que ele retorne antes de se sentir inseguro ou desconfortável, por isso, um horário tranquilo é fundamental. Se possível, peça para que alguém se certifique de que não há nada na rua que vá assustá-lo.

Continue fazendo esse treino, aumentando a distância aos poucos. Conforme o cão for se sentindo à vontade, tente colocar diversão no passeio, como petiscos diferenciados, a bolinha predileta do pet, ou ainda promova um encontro na rua com alguém da família que ele goste muito. Não se esqueça de voltar sempre enquanto o cão ainda estiver feliz e cuidar para que nada desagradável ocorra, pois, caso contrário, todo esse treino pode ser prejudicado.

Dica: esse treino pode parecer um pouco longo, por isso, estabeleça objetivos “menores” e comemore cada vitória, para que você e seu cão não se sintam frustrados e desistam antes de alcançar o sucesso. Paralelamente, treine de forma individual caso exista algo específico que seu cão não goste no passeio, como barulhos e a aproximação de pessoas ou cães, fazendo treinos de dessensibilização e contracondicionamento.

Boa sorte!!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Melhores guias para o passeio

guias-passeio2

Quer aproveitar o dia para curtir um passeio ao lado do pet, mas está em dúvida sobre qual guia deve usar?

A adestradora e consultora comportamental da Cão Cidadão, Cássia Rabelo Cardoso dos Santos, separou algumas dicas.

Ela explica que o ideal é começar pensando na segurança do amigão, evitando produtos frágeis, feitos de plástico ou de tecidos finos. Produtos que tenham argolas soldadas nas junções também podem se romper, caso o cão puxe com muita força. O melhor é evitá-los!

Cães de pequeno porte

Se eles não costumam puxar durante o passeio, você pode optar por uma guia peitoral. Ela também deve ser usada em cães que praticam atividades físicas com os donos, como correr ao lado da bicicleta ou do patins. As coleiras de nylon ou de couro ajustáveis também são indicadas para cães que se comportam bem fora de casa.

Animais que puxam 

Escolha uma coleira com algum tipo de contenção, como enforcadores, meio enforcador, coleira tipo cabresto ou até peitoral com contenção. Muitas pessoas não usam enforcador por receio de estarem maltratando o animal. Mas, na verdade, se utilizado da maneira correta, o enforcador apenas ajuda o cão a entender que não deve puxar.

Guias retráteis

Cuidado com as guias retráteis, pois elas são frágeis e podem arrebentar com facilidade! Elas também dificultam o controle do animal, por permitirem que ele se afaste muito dos donos.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0