Lidando com o miado em excesso

É comum ouvirmos alguns donos se queixarem que os seus cães latem demais. Mas, você sabia que esse problema também pode acometer os proprietários de gatos? Sim, há bichanos que gostam de miar – e como gostam!

Mas, calma! Com algumas dicas, é possível minimizar os miados em excesso. Para que isso aconteça, no entanto, é preciso ficar atento, pois o miado pode acontecer por diversos fatores: fome, tédio e para chamar a atenção.
De acordo com o especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, o ideal é ter muitos brinquedos e estimular os felinos a brincarem e fazerem exercícios. “Sem querer, às vezes, a gente também os ensina a miar mais e cada vez mais alto. Por exemplo, na hora da alimentação, se eles miarem para comer e você der a comida, eles entendem que miando ganham o alimento”,explica.

Agressividade felina: o que fazer?

agressividade-felinaPessoas que convivem com gatos sabem o quanto pode ser assustador e perigoso lidar com as reações agressivas dos bichanos. Por isso, é muito importante procurar entender os motivos que levaram o animal a agir com agressividade, para conseguir prevê-las e saber como agir.

Assim como os cães, os gatos também podem apresentar alguns tipos de agressividades, tais como por brincadeira, medo ou territorialidade.

Agressividade por brincadeira 

Para evitar sustos e machucados, deve-se evitar brincar com o gato usando mãos e pés, desde o momento em que o animal chega à casa, ainda filhote.

Também é importante proporcionar atividades que permitam a ele caçar outros objetos, como brinquedos que se movimentam, bolinhas e laser na parede.

Agressividade por medo

Um gato acuado, sentindo-se inseguro diante de determinada situação, e sem rota de fuga disponível, poderá atacar. Essa reação provocada pelo medo de uma pessoa ou outro pet pode gerar ferimentos sérios. Fique atento!

Agressividade territorial

Esse tipo de agressividade pode ser visto quando um novo bichano é introduzido em casa, sem que o trabalho de apresentação entre eles tenha sido feito da forma adequada.

O seu gato sofre de compulsividade?

compulsao-em-gatosMiar sem parar, andar em círculos, comer tecidos e se automutilar. Essas são algumas manias que os bichanos podem desenvolver de forma compulsiva, por isso, é preciso ficar atento a esses comportamentos.

É normal, por exemplo, um gato lamber as patas para se limpar. Mas, ficar se lambendo mais do que o razoável já pode ser um indício de compulsão. Muitos comportamentos compulsivos nos dão a impressão de que o animal não se sacia: quanto mais faz, mais quer fazer.

Geralmente, a compulsão se intensifica quando o animal está ansioso ou passa por uma situação estressante, como mudança de casa, realização de faxina ou a presença de pessoa ou animal estranho.

Como evitar?

Tratar a compulsão é bastante trabalhoso. O melhor é prevenir, já que o estresse e a falta do que fazer são os principais causadores das compulsões. Duas medidas estratégicas para evitá-las são sociabilizar muito bem o gato e entretê-lo adequadamente.

A sociabilização do gato feita com animais, pessoas, barulhos, cheiros e ambientes o torna muito mais tranquilo e o prepara para as mudanças que poderão ocorrer durante a vida.

Já o enriquecimento ambiental faz com que o gato gaste a energia com atividades físicas e mentais, impedindo-o de se engajar em comportamentos repetitivos e sem função. Para isso, crie diversos estímulos: espalhe brinquedos e esconda petiscos pela casa, por exemplo.

Caixa de areia: como ensinar o gato a usá-la?

Você sabia que o tipo de caixa de areia que você oferece ao gato, onde a coloca e como ela é limpa são detalhes que podem fazer muita diferença para o bem-estar do bichano?

A regra é oferecer, no mínimo, uma caixa a mais do que o número de gatos. Por exemplo, se você têm dois gatos, o ambiente deverá ter três caixas, e assim por diante.

O local onde você as coloca também é importante. Evite colocar a caixa de areia perto de lugares onde o gato bebe água ou come. A proximidade pode levar o felino a evitar tanto as caixas, quanto a água, o que não é bom!

A atenção com a limpeza é fundamental. Alguns gatos chegam a segurar as necessidades até que alguém limpe a caixa. Como essa retenção não é saudável, procure fazer a limpeza diariamente.