Aproveite o fim do verão com seu pet

Photo credit: haroldmeerveld / Foter / CC BY
Photo credit: haroldmeerveld / Foter / CC BY

Por Tarsis Ramão, adestradora da equipe Cão Cidadão.

O verão está no finalzinho, mas ainda dá tempo de curtir a praia e a piscina com seu melhor amigo. E, para você aproveitar ao máximo sua viagem na companhia do peludo, preparamos dicas importantes para que nada estrague os seus momentos de lazer.

Antes de fazer as malas

Como estão as vacinas, vermífugo e antiparasitário do seu bichinho? É importante que estejam em dia, para que seu cão não fique doente. Em épocas de calor, é muito comum a proliferação de pulgas, carrapatos e outros insetos, principalmente em regiões litorâneas e no interior. Então, antes da viagem, consulte o veterinário, para indicar o melhor método para preveni-lo.

Patas na areia

Na maioria das praias brasileiras, o acesso de cães e outros animais à areia e ao mar é proibido. Isso porque as fezes dos bichos de estimação podem transmitir doença aos banhistas. Informe-se se existe algum lugar onde eles sejam bem-vindos para não ser expulso e vá preparado. Leve sempre um jornal ou saquinho para recolher qualquer sujeira que seu cão fizer e não deixar nenhuma lembrança desagradável.

Cãominhando

Mesmo que você não possa levar seu melhor amigo para a praia, dá para fazer passeios muito agradáveis pelo calçadão, curtindo a vista para o mar. Mas, para isso, escolha os horários do dia em que está mais fresco. Normalmente, no início da manhã, final da tarde ou à noite.

As altas temperaturas vão deixar seu peludo cansado mais facilmente, podem elevar muito sua temperatura, sem contar que o asfalto e a areia quentes podem queimar as patinhas dele.

Ah, e dê uma paradinha para a hidratação. Leve uma garrafinha com água ou até aquela água de coco geladinha. Ambas são uma boas alternativas para refrescar você e seu companheiro de caminhada.

Hora do mergulho

Todo cão sabe nadar! Não é bem assim. Muitos realmente têm o instinto e saem literalmente nadando cachorrinho, já outros ficam assustados e não conseguem ou podem se cansar nas braçadas. Então, se você quer que seu cão se saia bem na natação, primeiro tenha paciência. É preciso que ele fique à vontade e não seja forçado, para não criar traumas.

Auxilie-o no início e, muito importante, mesmo para os cães mais nadadores, é fundamental que ele tenha como sair da piscina sozinho, se necessário, por uma escada ou rampa, para que ele não canse e se afogue.

Assim como as crianças, o ideal é que as brincadeiras na água sejam sempre supervisionadas para evitar acidentes. Seguindo essas dicas, você e o peludo se divertem em qualquer estação do ano.

Fonte: Pet Center Marginal.

Dicas para aproveitar o carnaval

dicas-aproveitar-carnavalVai curtir o Carnaval junto com o bichinho de estimação ou está pensando em deixá-lo em um hotelzinho? Separamos algumas dicas para deixar o feriadão agradável tanto para você, quanto para o amigão.

Vai viajar e levar o pet?

Mantenha o cachorro seguro por um cinto de segurança, próprio para cães, ou confortavelmente instalado na caixa de transporte. Durante a viagem, faça paradas a cada duas horas, para que o animal fique confortável. Assim, ele poderá se aliviar, esticar as pernas e beber água.
Dica: Se estiver muito quente, em cada parada, vale molhar uma toalha em água fria, para ir refrescando o cão dentro do carro.

Vai deixá-lo em um hotel? 

Se você for deixar o pet em um hotelzinho, é preciso ficar atento a alguns detalhes, como limpeza do local, tratamento dado aos animais, se o ambiente tem água disponível, se o seu pet ficará preso ou solto, entre outros pontos. Se no hotel o cão for se alimentar com uma ração diferente da que ele come em casa, o ideal é que esse processo de troca ocorra com, pelo menos, quatro dias de antecedência, para habituá-lo aos poucos.
Dica: Deixe no hotel um pano com o seu cheiro e os brinquedinhos preferidos do cão. Isso vai ajudá-lo bastante!

Passear é sempre bom!

Se você vai aproveitar o feriado para passear com o amigo, prefira sair com ele nos horários mais frescos. Em dias muito quentes, não se esqueça de mantê-lo bem hidratado! Se o cãozinho for das raças braquicéfalas (de focinho achato), é preciso um cuidado redobrado com o calor.
Dica: Em dias quentes, ofereça uma pedra de gelo ao cão ou a coloque na água.

Dicas de verão para o pet

dicas-de-veraoAssim como nós, os pets também podem sofrer com o calor excessivo. Embora a temperatura tenha se amenizado, é sempre bom ficar atento para garantir o bem-estar do amigo em dias de calor excessivo.

Dicas refrescantes

Em dias quentes, que tal oferecer algo para refrescar o bichinho? Coloque na água do pet algumas pedrinhas de gelo. Dê também a ele alguns brinquedinhos congelados para minimizar o calor. Deixe água fresca à disposição do cãozinho o dia todo e em vários lugares diferentes da casa. Isso pode ajudá-lo!

Hora do passeio 

Na hora de passear, prefira os horários mais frescos do dia: pela manhã (o mais cedo possível) e no finalzinho da tarde, tomando cuidado para que o animal não ande no asfalto quente, o que pode queimar as patinhas dele.

Lembre-se: jamais deixe o seu pet trancado dentro do carro, mesmo com a janela aberta!

Saiba como preparar seu bichinho para viajar com ele ou sem ele

viagem-carroOs animais de estimação são seres que dependem de amor, carinho e atenção, mas se ausentar para viagens de trabalho ou a lazer é comum e nem sempre é possível levá-los. Os cães e gatos podem sofrer muito nesses períodos, principalmente se não estão acostumados a ficar sem o dono.

Antes de viajar, é necessário pensar no que fazer com o seu pet. Conforme sugere o especialista em comportamento animal Alexandre Rossi, existe a opção de deixá-lo em hotéis, em casa ou levá-lo junto.

Se você optar por um hotel para animais, a dica é levá-lo alguns dias antes para passar o dia lá, para que ele vá se adaptando ao ambiente, sem que seja um afastamento brusco.

Confira aqui algumas dicas sobre viagem.

Vai passear com o pet? Faça o checklist do passeio e saiba o que deve ser levado!

checklist-do-passeioMuitos proprietários só percebem a importância da qualidade da guia e da coleira no momento em que algo nelas arrebenta. O pior é que o problema costuma acontecer quando o cão dá um tranco forte, em geral em situação de risco.

Ao estar louco de vontade para atravessar uma avenida e a coleira arrebenta, por exemplo, o animal fica sujeito a ser atropelado. Por isso, antes de levar o pet para um passeio, é preciso verificar se tudo está certo e separar antes o que levar.

Alguns objetos não podem ficar de fora do passeio, para não prejudicar o animal e as pessoas ao redor. Que tal antes mesmo de sair conferir se tudo está correto?

Checklist do passeio:

  • Coleira
  • Guia
  • Saquinho
  • Água

Guias ideais para o adestramento

tipos-de-guias

As guias ideais para o cãozinho são aquelas que aguentam um bom tranco e, de tão leves e silenciosas, fazem com que o pet nem “perceba” que está preso a ela. Mas, é importante que o animal respeite você e não a guia. Não se esqueça disso!

Aconselháveis

Guia de cordão resistente: ideal para o adestramento. Não é óbvia para o cão, o que contribuirá para que ele te obedeça com ou sem a guia. Cordões finos e leves podem ser bastante resistentes. Teste-os antes de utilizar.

Guias reguláveis: são boas para o adestramento, já que permitem ajustar o comprimento.

Não aconselháveis

Guia de corrente: não é aconselhável para o adestramento, pois, além de pesada, é barulhenta, tornando-se muito óbvia para o cão. São boas para conter o animal sem supervisão, já que a corrente não pode ser roída. Cuidado para o cão não se enroscar!

Guia de tecido pesado e largo: também não é aconselhável para o adestramento, pois é pesada e, portanto, óbvia para o cão.

Fonte: Adestramento Inteligente, de Alexandre Rossi.