Mudança no modelo de cobrança do cliente em julho

Os testes do Plano Recorrente, cobrança mensal que permite aos clientes escolherem a quantidade de aulas, fecharem um ou dois atendimentos por semana e fazerem apenas um pagamento – que pode ser com desconto, dependendo da região (haverá uma tabela que identificará os valores) -, estão indo de “vento em popa”.

Nele, o cliente pode desmarcar a aula, mas deve remarcá-la dentro de 30 dias. Se ele não repuser, o valor não será devolvido. Isso acarreta no aumento do faturamento do franqueado, pois ele não perde o valor da aula que foi desmarcada – isso acontecia constantemente com alguns adestradores –, umas das maiores vantagens! Mesmo oferecendo desconto no plano, o adestrador garante os valores pagos e não perde as aulas desmarcadas.

“Como os resultados estão bastante positivos e já tivemos feedbacks bacanas, ofereceremos os Planos Recorrentes a todos os novos clientes a partir de amanhã, 1º de julho”, diz Marina.

Isso estimula o uso dessa ferramenta, que simplifica muito a vida do adestrador. E, além dessa novidade, o Salesforce também está preparado para fazer os cálculos!

Para ter acesso ao Termo de Ciência dos planos de São Paulo, clique aqui. Se precisar de mais informações ou quiser tirar dúvidas, procure a Marina.

Atente-se aos e-mails e mantenha o Salesforce atualizado!

Atenção! A atualização do sistema Salesforce vai até as 23h59min de hoje! Isso porque os boletos são enviados automaticamente para os clientes todo dia 1º de cada mês, com vencimento sempre no dia cinco, de acordo com os planos e quantidades de aulas informados pelo franqueado na ferramenta.

Caso o cadastro do seu cliente não tenha as informações completas, solicite as alterações pelo e-mail faturamento@caocidadao.com.br.

Além disso, você deve atualizar todos os compromissos e realizar a conferência deles através do menu > relatórios > faturamento franqueado (selecionar o período e clicar em executar relatório).

Com a forma de pagamento via boleto, as taxas de Royalties e Fundo de Propaganda serão repassadas para a Cão Cidadão diretamente e emitiremos as notas ficais e de débito apenas como demonstrativos.

IMPORTANTE:

Informamos que essa notícia é enviada mensalmente por e-mail para todos os franqueados. Porém, algumas informações são alteradas, por isso, pedimos que leiam sempre esses conteúdos com atenção! Para que elas não passem despercebidas, vamos avisar quando houver alterações de regras nos assuntos e títulos dos próximos e-mails. Fique atento!

Questões clínicas estão complicando casos comportamentais simples? Alie-se ao veterinário!

Rafael Lopes, adestrador de São Paulo, conta que foi chamado para treinar Nana (Yorkshire) e sua irmã, Nina (Labrador). A Nana, graças a uma cegueira repentina, decorrente de um tumor próximo à base do cérebro – desencadeado pela doença hiperadrenocorticismo –, passou a urinar em todos os locais da casa, o que, de certa forma, estimulou Nina a também se comportar assim.

“Esse problema da York causa aumento de produção do cortisol pelas glândulas adrenais. Como consequência do crescimento do nível circulante desse hormônio, temos a manifestação de sinais, como o consumo exagerado de água, aumento na frequência urinária, muito apetite e ganho de peso”, explica o profissional, que já está com esse caso há nove meses.

Como Rafael conseguiu manter o adestramento, mesmo a questão sendo diretamente ligada a problemas de saúde? Simples! Ele persistiu e trabalhou em conjunto com o veterinário!

“Ainda que os treinos não tivessem avanço rápido, existiam acertos, o que nos motivou a seguir em frente. Em diversas conversas com os tutores, sentimos que uma evolução completa dependia da ‘estabilidade’ do quadro e da diminuição da manifestação dos sinais clínicos da doença, então, esperamos e fomos trabalhando.”

Os cuidados do veterinário, somados à continuidade dos treinamentos, já diminuíram cerca de 75% o problema em relação ao início do adestramento. “Quando a doença foi descoberta, foi recomendado à tutora o fornecimento de uma ração rica em fibras na alimentação da Nana. O problema é que esse tipo de alimento causa mais sede no animal, resultando no aumento da compulsão dele por água!”, diz.

No último mês, a tutora comentou sobre a possibilidade de mudar a alimentação da Nana de ração para a natural. “A veterinária e eu apoiamos a mudança, pois o alimento natural, por ser hidratado, poderia minimizar a compulsão da cachorrinha por água. Como resultado, estamos observando uma diminuição no ímpeto do consumo de água por ela.”

Agora, com essas questões todas se regularizando, os treinos estão cada vez melhores e o profissional tem conseguido mais sucesso com a aluna. “É fundamental o acompanhamento do veterinário em um caso como esse. Era bastante claro para mim que a doença atrapalhava a rotina da Nana, porque, de maneira geral, ela respondia bem aos estímulos!”

A Nina, que não tinha a doença, acabou “copiando” a Nana e começou a urinar por toda a casa. “Ela estava respondendo bem aos treinos, mas, infelizmente, faleceu no início do ano por causa de um câncer”, lembra Rafael.

De qualquer forma, a lição de Nana finalmente está sendo aprendida: xixi, só no tapete higiênico!

Qual a importância do adestramento?

importancia-adestramento_interna

Além de amenizar ou até mesmo acabar com aquele comportamento inadequado do pet, o adestramento ajuda a melhorar a convivência entre humanos e animais. Isso mesmo!

Algumas pessoas acreditam que, ao ensinar comandos aos bichinhos, eles se tornarão verdadeiros “robôs”, com movimentos monitorados. Mas, isso não é o que acontece!

Na verdade, muito mais do que mostrar aos amigos que o pet realiza alguns “truques”, os comandos podem ser importantes em várias situações do dia a dia.

Confira mais informações em Serviços.

NÃO VÁ AINDA!!

Agende agora mesmo uma primeira aula gratuita (on-line ou presencial) com um dos nossos adestradores!!