Saiba escolher a raça de cachorro ideal para você

Saiba escolher a raça do cachorro ideal

Antes de comprar ou adotar um cachorro, uns dos principais aspectos que você precisa levar em consideração para escolha são a raça e a personalidade do animal. É importante que essas características se encaixem com suas expectativas em relação ao cãozinho e seu estilo de vida. Afinal, ao escolher um bichinho de estimação, desejamos que ele se adapte e tenha tudo o que precisa para ser feliz em sua nova casa, evitando problemas ou frustrações para toda a família.

Para tirar suas dúvidas sobre esse tópico, criamos este post com os principais pontos que você precisa saber antes de escolher a raça ideal do seu cachorro.

Quais aspectos levar em consideração na escolha da raça?

Para começar, pense em seu estilo de vida. Você adora passeios ao ar livre, gosta de praticar esporte, correr ou prefere ficar em casa, lendo um livro, assistindo um filme? Pense também sobre sua casa e em sua rotina e de sua família. Você mora em um apartamento pequeno ou em uma casa grande, com quintal? Os membros de sua família ficam muito tempo fora trabalhando e em outras atividades ou sempre haverá alguém em casa para fazer companhia ao bichinho?

Além disso, pense sobre quais características físicas e comportamentais você deseja que o seu cachorro tenha. Pequeno, médio ou grande porte? Quer que eles seja companheiro, brincalhão ou um cão de guarda? Agitado ou calmo?

Com base nas respostas dessas perguntas você está pronto para pesquisar as raças e perfil de animal que sejam mais compatíveis com você e sua família.

Grupos de raças e suas características

Sem raça definida

Por não terem uma raça definida, é um pouco mais difícil prever se o filhote terá porte pequeno, médio ou grande e qual será seu temperamento. Porém, no geral, animais sem raça definida são muito carinhosos e amorosos com sua nova família. Eles também costumam apresentar uma saúde bem resistente.

Além disso, se você escolher adotar um cãozinho vira-lata, você estará dando a ele a oportunidade de ter um lar e receber atenção, carinho e cuidados individualizados, algo que em um obrigo dificilmente ele teria, uma vez que os cuidadores devem dar atenção a uma dezena de animais ao mesmo tempo.

A dica para escolher o animal para adotar que mais se encaixe nas características que você espera de um bichinho de estimação é observar o comportamento do cachorro e conversar com os responsáveis por seus cuidados no abrigo. Eles podem te ajudar a saber se ele irá crescer muito mais ou se deverá ficar pequeno quando adulto e também como é o seu temperamento, se ele é um animal mais tímido, agitado, carinhoso, etc.

Grupo dos esportistas

São animais que, em sua origem, foram criados com a função de ajudar na caça. Para eles, o trabalho de localizar, capturar e buscar as presas é como um esporte que eles adoram.

Fazem parte desse grupo cães das raças Golden Retrivier, Labrador, Fox Paulistinha, Cocker Spaniel, Pointer Inglês, entre outras.

Os cachorros das raças pertencentes a esse grupo são bastante companheiros, têm muita energia, são rápidos e possuem o faro aguçado. São indicados para pessoas que querem um cão animado e educado e que tenham bastante espaço em casa para o cachorro se exercitar ou possuem muita disposição para brincar e passear.

Grupo dos Hounds

Os cachorros do grupo dos hounds também eram caçadores e perseguiam suas presas. Possuem visão e olfato bem apurados. Geralmente são agitados e precisam gastar bastante energia.

Algumas das raças que fazem parte dessa categoria são Basset Hound, Beagle, Dachshund e Whippet.

Grupo dos trabalhadores

Os cães do grupo dos trabalhadores foram criado para ajudar os humanos em diversas tarefas, como guardar propriedades e rebanhos, puxar trenós e resgatar pessoas e animais.

Raças como Akita, Boxer, Doberman, Fila Brasileiro, Husky Siberiano e São Bernardo são alguns exemplos dessa categoria.

Grupo dos pastores

Esses animais foram criados para ajudar os humanos a pastorear rebanhos e até hoje eles são usados nessa função. Fazem parte desses grupo as raças Pastor Alemão, Border Collie e Pastor de Shetland.

Para exercer esse tipo função, é preciso ter um grande vigor físico. Por isso, não é de se estranhar que os cães desse grupo tenham alto nível de energia. Os donos desses animais devem estimular atividades que o ajudem a se exercitar para evitar que a energia acumulada cause problemas comportamentais.

Grupo dos Terriers

Na natureza, os cachorros pertencentes a esse grupo são ótimos caçadores, principalmente de roedores e pequenos mamíferos. Para conseguir pegar suas presas, eles precisavam cavar profundamente a terra para encontrá-los. Devido a essa herança ancestral, os terriers são conhecidos por gostarem muito de cavar e possuem alta energia.

Ou seja, ao escolher ter um cachorro desse grupo em sua família você deverá ter em mente que ele precisará de muito exercício físico e um pedaço de terra onde possa cavar a vontade.

As raças mais conhecidas desse grupo são Bull Terrier, Boston Terrier, Jack Russel Terrier, Pit Bull e Schnauzer.

Grupo dos Toys

Diferentemente dos outros grupos citados até aqui, as raças do grupo dos toys foram criadas principalmente para fazerem companhia aos seres humanos, sem terem que exercer nenhuma função ou trabalho para ajudar seus donos.

Em sua maioria, são cachorros de pequeno porte e que apreciam muito estar sempre perto de seus donos.

As raças pertencentes a essa categoria são Chihuahua, Lulu da Pomerânia, Maltês, Pequinês, Shih Tzu Pinscher e Pug.

Grupo dos Não-esportistas

Entram nesse grupo as raças que não se encaixam nas outras categorias, por isso possuem caracterísitcas e personalidades muito variadas.

São classificados como não-esportistas o BuldogueFrancês, Chow Chow, Dálmata, Lhasa Apso, Poodle, entre outros.

A escolha da raça e do perfil comportamental do cachorro que mais combine com sua rotina e de sua família é um dos fatores mais importantes para uma relação entre humanos e animais agradável e satisfatória. Pesquise bem sobre as raças que têm interesse, converse com seu veterinário para esclarecer dúvidas sobre o comportamento e características de cada animal. Não adote ou compre um cão apenas por impulso ou por achar determinada raça bonita sem entender suas especificidades. Pratique a posse responsável e com certeza você terá um grande amigo por muitos e muitos anos.

Assine nossa newsletter para receber informações sobre o mundo pet.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Qual a melhor opção: adotar ou comprar um filhote?

qual-a-melhor-opcao-adotar-ou-comprar-um-filhote

Quando planejamos ter um animal de estimação, uma das primeiras escolhas que precisamos fazer é decidir entre comprar ou adotar. As duas alternativas têm suas vantagens e desvantagens, cabe ao futuro dono do bichinho escolher a opção que mais se encaixa nas necessidade de sua família e estilo de vida. Para nós, o mais importante é que o futuro dono do bichinho esteja totalmente ciente do que significa – tanto para ele e sua família, quanto para a sociedade – escolher entre uma ou outra opção.

Além disso, antes de comprar ou adotar um filhote, saiba que ele viverá por muitos anos e precisará de carinho, atenção, cuidados com a saúde, alimentação e um ambiente adequado para crescer e se desenvolver. Tudo isso exige tempo e um certo investimento financeiro e será sua responsabilidade garantir a segurança e o bem estar do bichinho por toda a sua vida. Você está pronto para assumir essa responsabilidade por muitos e muitos anos?

A seguir, apresentaremos alguns pontos que devem ser considerados na hora de fazer sua escolha.

Adotar é um ato de amor

Em todo o mundo, a situação dos animais de rua e abandonados é extremamente triste e preocupante. A grande maioria dos bichinhos que vivem nas ruas passam fome, não recebem os cuidados necessários com sua saúde e, muitas vezes, não são cadastros, o que acaba agravando o problema da superpopulação de animais de rua.

Ao serem resgatados por organizações e abrigos que cuidam de animais, eles passam a ter melhor qualidade de vida. Porém, por mais que os responsáveis por esses espaços deem carinho aos bichinhos, eles não recebem toda a atenção e amor que merecem e que poderiam receber se estivessem em uma família.

Por isso, adotar é um ato de amor aos animais e também uma forma de exercer nossa responsabilidade social. Ao adotar um filhote, você está contribuindo para que menos animais vivam nas ruas ou passem a vida toda à espera de uma família que os acolham.

Se for comprar, seja responsável

Seja por qual for o motivo que você decida comprar um animal, é importante assumir sua responsabilidade por esse ato. O comércio de animais é um negócio lucrativo e, infelizmente, muitas pessoas mau intencionadas têm explorado de forma degradante os animais para a reprodução e não oferecem cuidados básicos com a saúde e o bem estar de adultos e filhotes.

Por isso, antes de comprar, cheque se o criador é sério, responsável e regularizado. Não compre animais em petshops ou em locais nos quais você não possa verificar a procedência do animal ou as condições nas quais os filhotes e seus pais são mantidos e criados.

Existem muitos criadores sérios e comprometidos com a saúde e o cuidado dos animais. Mas é preciso pesquisar muito, se informar e visitar esses locais antes de fechar negócio.


Ao comprar de um criador clandestino ou que pratique crueldade com os animais, você está estimulando e financiando essas práticas. A melhor forma de acabarmos com esse tipo de situação é não comprando animais desse criadores.

O que levar em consideração na hora de escolher entre adotar e comprar?

Bom, agora que você já sabe tudo o que implica socialmente e para a vida dos animais adotar ou comprar, chegou a hora de falar sobre alguns aspectos relacionadas às características dos animais e como elas podem se relacionar às especificidades de sua vida pessoal.

Porte pequeno, médio ou grande?

Ao escolher um animal de estimação, é preciso levar em consideração o seu porte e o espaço físico que você poderá oferecer em sua casa. Se você mora em um apartamento pequeno, talvez não seja uma boa ideia adotar ou comprar um filhote que chegará a ter grande porte.

Além de mais espaço, animais maiores precisam gastar mais energia. Por isso, você não tem tanto tempo ou disposição para longos passeios ou atividades que exijam mais esforço físico do animal, é melhor escolher um filhote que será menor na vida adulta.

Sobre essa característica, os animais de raça definida – e existem muitos deles também para adoção – têm uma vantagem, pois você saberá qual o porte que o animal terá no futuro antes de levá-lo para casa.

Também é possível observar algumas características em filhotes sem raça definida e estimar se, quando adulto, ele será de pequeno, médio ou grande porte. Converse com o responsável pelo abrigo e até mesmo com veterinários para ouvir a opinião dele sobre o assunto. Mas esteja aberto a surpresas no futuro.

Temperamento do animal

O temperamento de um bichinho de estimação deve ser compatível com a realidade de sua família. Por isso, antes de comprar ou adotar um filhote, é preciso que você avalie o seu estilo de vida e entenda quais são as suas necessidade e o que você pode oferecer ao seu novo amigo.

Se você e sua família são ativos, gostam de praticar atividades físicas ou se você tem crianças em casa, um animal com um comportamento mais brincalhão ou que precise gastar mais energia pode ser compatível. Porém, se você já não tem tanto tempo para se dedicar a atividades físicas mais intensa com o bichinho ou mora bebês ou pessoas idosas, o ideal é escolher um animal mais calmo e tolerante.

Mais uma vez, nesse aspecto, filhotes de raça definida são escolhas mais seguras na hora de comprar ou adotar. Porém, os animaizinhos já demonstram sua personalidade desde cedo. Por isso, quando for adotar ou comprar, é importante observar e conversar com o criador ou o responsável pelo abrigo sobre as características comportamentais do filhote desejado. Assim, sua escolha será mais assertiva em relação às suas necessidades e a do animal.

Porém, tenha em mente que filhotes são muito inteligente e podem ser facilmente adestrados. Caso você tenha problemas com o comportamento do seu animal – seja comprado ou adotado – é possível buscar ajuda profissional. Dessa forma, você, sua família e seu bichinho terão uma convivência muito mais harmônica e agradável. Caso tenha interesse, agende uma vista grátis com um adestrador da Cão Cidadão.

Seja qual for sua escolha – adotar ou comprar um filhote, de raça ou vira-lata, no final de tudo, o mais importante é o carinho e cuidado que você e sua família poderão oferecer ao animal. Com certeza, vocês receberão muito amor e companheirismo em troca.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

O exercício ideal para fazer com o seu cão

dicas_interna_caesesporte

Por Malu Araújo, adestradora e consultora comportamental da Cão Cidadão.

Um levantamento do Kenel Clube de São Paulo — grupo que registra aproximadamente 40 mil cachorros por ano, encomendado pela VEJA SP, apontou as 15 raças de cães mais populares de donos paulistas. Para animar o seu projeto Verão 2016 e, de quebra, fazer companhia para o seu mascote no treino, listamos as melhores atividades físicas para praticar com cada raça. É importante ficar atento aos horários das práticas, pois, com o aumento de temperatura o ideal é treinar até às 10 horas ou depois das 16 horas.

Yorkshire Terrier
“O york tem um temperamento ótimo e consegue, com facilidade, acompanhar a dona em uma aula de Balé, por exemplo”, sugere Malu Araújo, adestradora e consultora comportamental da equipe Cão Cidadão.

Buldogue francês
Originário da França, a raça gosta de contato humano, é bem companheira e ativa. Porém, é preciso tomar cuidado com a intensidade dos exercícios, os buldogues franceses têm focinho achatado, o que dificulta a respiração e troca de calor. “Eles são ótimos para uma partida leve de futebol”, recomenda Malu.

Spitz Alemão anão
Também conhecido como Lulu da Pomerânia, é protetor (às vezes invocado), mas consegue acompanhar o dono na prática de Stand Up Paddle (SUP).

Shih-tzu
De porte pequeno e menos agitado, se dá bem com crianças, adultos e idosos. O Shih-tzu pode ser uma ótima companhia de treino para sedentários que querem começar de maneira leve uma caminhada. “Os cães dessa raça podem apresentar uma evolução gradativa em uma caminhada leve com idosos ou sedentários”, indica a adestradora.

Schnauzer miniatura
É uma raça animada e extrovertida. “São ótimos para um passeio de patins ao ar livre”, diz Malu.

Rottweiler
Valente e fiel, os cachorros dessa raça são ótimos cães de guarda e respondem bem a uma corrida de alta intensidade, se tiver condicionamento físico adequado.

Pug
Por conta do focinho achatado, assim como outros cães de porte pequeno, não aguenta exercícios físicos intensos. Mas isso não é desculpa para o sedentarismo. “Eles são bem agitados. O melhor é fazer uma caminhada, mas preste atenção com relação ao horário e a temperatura”, aconselha a consultora comportamental da equipe Cão Cidadão.

Maltês
Carente, esses cães não gostam de passar muitas horas sozinho. “Também são ótimos companheiros para praticantes de SUP”, diz Malu.

Lhasa Apso
É companheiro e independente, ótimo para quem pratica ioga em casa.

Labrador Retriever
É dócil e muito agitado. “Os labradores adoram água, então, são ótimas companhias para uma natação, por exemplo”, fala a especialista.

Golden Retriever
Tem o temperamento simpático e obediente e podem ser ótimos para um passeio de bicicleta. “Porém, é preciso tomar cuidado. Usar um adaptador de coleira para a prática vai prenevir acidentes”, aconselha Malu.

Fila Brasileiro
De porte grande, temperamento forte e fiel à família, esses cães podem acompanhar o dono em uma corrida intensa, se tiver condicionamento físico.

Cavalier King Charles Spaniel
São dóceis, tolerantes e pacientes. Primos da raça cocker (caçadores de patos), se dão muito bem em atividades que exijam resistência e agilidade. “Eles adoram água e podem ser uma companhia em uma aula hidroginástica”, diz a profissional.

Buldogue Inglês
“Esses cãezinhos cansam rápido, mas ainda assim são bagunceiros. Mas aguentam uma caminhada leve de 30 minutos, no horário da manhã, por exemplo”, fala Malu.

Border Collie
É um cão de pastoreio, inteligente e que necessita de atividade física frequente. “Com certeza essa raça pode jogar tênis, pois são malucos por bolinha e trabalhos repetitivos”, conclui a consultora comportamental de animais.

Vira-lata
A verdade é que todo cãozinho pode ser o seu melhor amigo! E com os vira-latas não poderia ser diferente, eles são ótimos parceiros. “Por serem uma mistura de raças, é preciso se atentar às características físicas e temperamento dos vira-latas. Os de porte pequeno e focinho curto podem praticar um alongamento. Enquanto os mais agitados podem sair com os tutores para uma trilha ou participar, de alguma forma, de exercícios de circo”, conclui a adestradora.

Fonte: M de Mulher.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Cão Cidadão no 10º aniversário do Encontro de Branquelos!

Photo credit: Gamma Man / Foter / CC BY
Photo credit: Gamma Man / Foter / CC BY

Neste sábado, 13 de setembro, às 10h, vai acontecer o aniversário do Encontro de Branquelos, no Clube de Cãompo, em Itu (SP). A Cão Cidadão estará novamente presente e dará dicas comportamentais para os donos presentes em uma palestra.

O evento está em sua décima edição e todos os anos reúne proprietários de cães da raça West Highland White Terrier (Westies ou Branquelos) de todo o Brasil, principalmente de São Paulo.

O tema do encontro deste ano é “Saudáveis & felizes”, e o objetivo é discutir e conscientizar os donos sobre a importância de cuidar da saúde do pet e realizar exames periódicos, para garantir o bem-estar e a saúde do animalzinho.

Participe! O seu branquelo vai adorar participar desta festa! A entrada é gratuita, porém, restrita apenas aos cães Westie.

Para mais informações, clique aqui.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Raças determinam o temperamento do cachorro?

Você é daqueles que acham que a raça determina o temperamento do cachorro?

Segundo o especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, é preciso tomar cuidado ao associar raças e comportamentos. Isso porque, cada raça tem diferentes indivíduos, assim como linhagens.

Animais de mesma raça podem, sim, manifestar temperamentos diferentes. Alexandre alerta que “dentro de uma mesma raça, podem ter cães dóceis e agressivos”. Nada de generalizar!

Mas, o que fazer? “Caso você não conheça a linhagem, procure as raças dóceis e, mesmo assim, faça um teste com os filhotes e conheça os pais. Tudo isso para evitar acidentes”, explica o especialista.

Confira aqui o áudio completo da entrevista.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Conhecendo as raças: Puli

racas-puli

Acredita-se que o Puli tenha descendido de um antepassado que foi introduzido na Hungria pelos nômades magiares há séculos. O primeiro padrão dessa raça foi oficialmente publicado em 1925, deixando-o, assim, superconhecido.

Originalmente, o Puli era mais usado no pastoreio das ovelhas, nas margens das planícies húngaras, e seus donos optavam pelos cães pretos, para poder diferenciá-los do rebanho. Durante a Segunda Guerra Mundial, a raça quase entrou em extinção, sobrando apenas dois exemplares. Mas, com esforços dos criadores e do programa mundial de cruzamentos, eles foram recuperados.

Sua principal característica é o pelo entrançado, que chama muito a atenção de quem vê. Quando eles chegam à fase adulta, o sua pelagem, chamada de“acordoada”, pode chegar ao chão. Por ser vivaz, agitado e muito alegre, ele já se tornou um cão popular de família.

Com informações da Confederação Brasileira de Cinofilia.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0