Como ensinar o pet a comunicar suas vontades

dicas_interna_ensinandoocao

Quando se trata da comunicação com os pets, muitas vezes, gostaríamos de ter a capacidade de conversar com eles, não é mesmo? Principalmente, nos momentos nos quais o animal acaba tendo um comportamento inadequado e, nestes casos, seria muito mais fácil explicar verbalmente para ele que não pode fazer aquilo, do que dar uma “bronca” e esperar que não aconteça novamente.

Além disso, existem as situações em que o animal está pedindo por algo e nós não fazemos ideia do que seja. Será que ele quer passear? Quer um petisco? Está pedindo carinho?

Não existe situação mais frustrante do que não compreender as vontades dos peludos. Mas, felizmente, é possível, sim, ensinar o animal a se comunicar melhor conosco, facilitando a compreensão para ambas as partes.

“Os pets estão sempre aprendendo sinais e tentando se comunicar com as pessoas e seus donos, mas, muitas vezes, não conseguimos parar para observá-los. A melhor maneira de estreitar essa comunicação seria pensar como eles”, explica o adestrador da Cão Cidadão, Tiago Mesquita.

Algumas pessoas acham que o pet pode compreender o que nós esperamos deles sem realizar qualquer tipo de treinamento prévio. No entanto, quando elas não recebem a reação que esperam, ficam frustradas. Para que essa comunicação aconteça sem qualquer problema, é preciso dedicação. “Estudar o comportamento dos pets e fazer exercícios de adestramento ajuda a aprofundar o entrosamento entre o dono e o animal”, comenta Thiago.

Para alcançar esses objetivos, não é necessário que você seja um profissional. Qualquer tutor que demonstre interesse, habilidade e dedicação, consegue treinar seu cachorro de forma a tornar a comunicação o mais fácil possível.

“Naturalmente, os animais nos dão pistas todos os dias de que estão com vontade de fazer alguma coisa. Há aqueles cães que pulam atrás da porta para alcançar sua guia de passeio, também tem aqueles que ficam sentados olhando para um pote de petisco tentando convencer o seu tutor a dar um para ele”, explica o adestrador.

No entanto, esses comportamentos precisam ser capturados pelo tutor. Se o cão começa a latir para o saco de ração toda vez que estiver com fome e o dono prontamente atendê-lo, essa atitude acaba estabelecendo uma comunicação entre os dois. Quando os donos atendem a essas vontades, associando com comandos verbais ou gestuais, os pets tendem a aumentar a frequência do comportamento.

Ensinar e treinar comandos como o senta, deita, fica, junto, não, entre outros, também é uma boa forma de colocar em prática essa comunicação, além de estreitar a relação entre o dono e o pet.

Em alguns casos, é necessário o auxílio de adestradores profissionais. Porém, realizar esses exercícios em casa, ajuda o dono a entender com mais clareza as características do seu bichinho e a encontrar maneiras de chamar a sua atenção, tornando o aprendizado muito mais tranquilo e divertido.

Como em todo treinamento, é importante ter paciência, pois essa comunicação não se torna perfeita da noite para o dia. Exige tempo e muita dedicação, mas no final tudo vale a pena para tornar a convivência com o seu amigão ainda melhor!

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn