Alimentação para cachorros: tudo o que você precisa saber

Alimentação para cachorros: tudo o que você precisa saber

Cuidar da alimentação dos bichinhos é muito importante e faz uma grande diferença na saúde e qualidade de vida deles. Oferecer uma alimentação equilibrada e que atenda às necessidades nutricionais específicas em cada fase do animal é essencial para cachorros filhotes, adultos e idosos.

Neste artigo, iremos esclarecer as dúvidas mais comuns sobre qual a melhor forma de garantir uma alimentação saudável para o seu pet.

Ração x comida caseira

Assim como os humanos, cachorros também precisam de uma dieta balanceada. Entretanto, o que pode ser bom e fazer bem para um humano, nem sempre atende às necessidades nutricionais de um cão, ou pior, pode até ser prejudicial para o bichinho.

Rações específicas para as características do seu animal (se ele é filhote, adulto ou idoso, se é de grande, médio ou pequeno porte, se tem algum problema de saúde etc.) são a forma mais prática e segura de alimentar o cão. Esse tipo de alimento é fabricado para oferecer todos os nutrientes essenciais para o desenvolvimento saudável do bichinho. Além disso, quando os cachorros mastigam a ração, o atrito faz com que eles acabem limpando um pouco os dentes, o que ajuda a prevenir problemas como tártaro.

Apesar desses benefícios, muitos tutores oferecem comida caseira aos seus cachorros por imaginarem que eles irão enjoar de comer só ração ou como uma tentativa de oferecer algo mais nutritivo. Porém, alguns alimentos e temperos comuns na alimentação humana podem ser muito prejudiciais ou representar um risco para a saúde do animal, como excesso de sal, chocolates, cebola, alho, frutas com caroço e muitos outros.

Para oferecer comida caseira ou natural ao seu bichinho de forma séria e correta, você deve contar com o acompanhamento veterinário. Somente esse profissional poderá te indicar uma dieta balanceada e a forma certa do preparo de cada alimento.

Por isso, a ração é a escolha de alimentação para cachorros mais garantida e fácil, pois ela é feita para suprir corretamente as necessidades nutricionais do animal, sem excessos ou carências de nenhum nutriente. Converse com seu veterinário e informe-se sobre o melhor tipo de ração para atender as necessidades específicas do seu cachorro.

Quantidade de ração

Para oferecer os nutrientes adequados aos cães, é preciso alimentá-los com a quantidade correta de ração. Para isso, basta seguir as instruções do fabricante que vêm nas embalagens desses produtos.

Avalie também o comportamento do seu pet. Se ele for muito ativo e agitado, você pode disponibilizar um pouco mais de alimento, se ele for muito calmo e preguiçoso, um pouco menos. Tente manter o escore corporal adequado para o seu animal. Para avaliar isso, observe o corpo do seu cachorro.

Escore corporal: como observar?

No escore ideal, você não verá de forma tão aparente os ossos das costelas, coluna e bacia do animal. Quando tocá-lo, você sentirá fina camada de gordura em cima das costelas. Além disso, o cachorro terá cintura e curva abdominal marcada.

Se você enxergar muito marcados os ossos da coluna, costelas e da bacia, isso pode significar que ele está abaixo do peso ideal. Quando o bichinho está acima do peso, ao tocar você não sentirá os ossos da costela e o cachorro não apresentará a curva da cintura e também terá um excesso de gordura na região abdominal.

Caso você tenha alguma dúvida sobre como avaliar o peso correto do animal, converse com seu veterinário.

Horários para a alimentação

Alguns cachorros são muito gulosos. Para evitar que eles comam toda a ração de uma vez e fiquem sempre pedindo mais, é importante que você não deixe toda a comida à disposição do bichinho o dia todo.

O ideal é dividir a oferta de comida para o cãozinho em algumas vezes ao dia. Quando ele é filhote, você pode começar oferecendo a ração quatro vezes ao dia. Conforme o animal for crescendo, vá diminuindo até chegar em duas vezes ao dia.

Com isso, você conseguirá controlar melhor a quantidade de alimento que o animal come, evitando problemas como a obesidade do animal.

Petiscos

Em momentos especiais, para agradar ou recompensar seu cachorro por um comportamento positivo, você pode oferecer a ele um petisco, algo que seja mais atrativo do que só a ração.

Além disso, durante o treinamento do animal, é muito comum oferecer petiscos e até mesmo a própria ração como estímulo e reforço positivo para que o cachorro execute a ação desejada.

O importante nesses casos é não utilizar esses agrados em excesso, para não atrapalhar o balanceamento da alimentação do cão.

Na dúvida, consulte um veterinário para saber a quantidade e o tipo de petisco recomendado para o seu animal.

Como resolver problemas comportamentais relacionados à alimentação?

Cachorros que comem muito rápido

Comer muito rápido é um hábito que pode fazer mal ao cachorro, pois ele pode vomitar ou desenvolver gastrite e até mesmo torção gástrica.

Nem sempre um cão que come rápido é porque está com muita fome. Às vezes o animal está apenas com o apetite aumentado. Avalie se seu cachorro está comendo a quantidade de ração indicada para seu porte e idade antes de decidir aumentar a quantidade oferecida para saciá-lo, pois ele pode continuar comendo rápido e ainda te pedir mais.

Uma forma simples de ensinar o cão a comer de forma mais lenta é utilizando brinquedos que liberam a ração ao serem manipulados, com uma garrafa pet com furos ou bolas que dispensam a comida. Escolha a melhor opção para você e seu cachorro e divirta-se enquanto seu cãozinho aprende a ter mais calma para comer.

Falta de apetite

Isso pode acontecer por diversos motivos. Muitas vezes essa falta de apetite acontece porque o cachorro tem à disposição comida à vontade o dia todo. Para evitar esse problema, ofereça apenas a quantidade adequada às características do seu animal e nos horários determinados por você (pelo menos duas vezes ao dia).

Outro motivo comum para a diminuição do apetite do animal ocorre quando você tem o costume de oferecer outros alimentos ao cachorro ou misturá-los à ração para incrementá-la. Isso pode piorar o paladar do cão, fazendo com que ele recuse comer a ração pura, já que ele sabe que você pode oferecer algo muito mais palatável.

Caso a diminuição do apetite não tenha relação com nenhuma dessas causas, procure um veterinário para que ele possa examinar seu animal e te ajudar a lidar com a situação.

Animais que brigam por comida

Ao alimentar mais de um cachorro ao mesmo tempo, alguns animais podem apresentar um comportamento agressivo nessa hora por terem sentimento de posse pela comida. Ao notar que um de seus cães tende a ser agressivo com os outros na hora de comer é importante agir para evitar brigas e problemas graves.

Para acalmar a situação, você pode separar seus animaizinhos na hora da refeição. Não deixe os potes de refeição deles próximos uns dos outros e sempre os supervisione enquanto eles comem. Assim, você evita que um chegue perto da comida do outro e acabem brigando.

Quer receber outras dicas para cuidar do seu pet? Assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo o que rola por aqui.

Recomendamos

adestramento com a cao cidadao e com a hills é sempre melhor

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Como proteger seu pet de carrapatos e pulgas?

Como proteger seu pet de pulgas e carrapatos / Photo by Caleb Stokes on Unsplash

Evitar infestações de carrapatos e pulgas em cães e gatos é uma preocupação constante de quem tem animais em casa. Além de desagradáveis, esses bichinhos podem transmitir doenças e representar um risco à saúde dos pets e de sua família. Por isso, é muito importante ficar atento ao primeiro sinal desses parasitas em seu animal e sua casa para eliminá-los o mais rápido possível.

A importância da prevenção

Carrapatos e pulgas, além de serem um incômodo para cães e gatos, podem causar doenças sérias para seu bichinho e sua família. Aproveite os momentos de brincadeiras, carinho, escovação e banho para sempre fazer uma inspeção no seu animal e eliminar esses parasitas assim que eles apareçam.

Atenção!

Já reparou que há mais carrapatos e pulgas no verão? Por ser mais quente e úmida, essa época do ano apresenta as condições ideais para a reprodução desses parasitas. Por isso, tenha atenção redobrada nesse período!

Conhecendo os vilões

Carrapatos

Carrapatos são parasitas que se alimentam do sangue dos animais e podem transmitir doenças graves tanto para cães e gatos quanto para humanos. No geral, são maiores que as pulgas e se locomovem lentamente, por isso são mais fáceis de serem encontrados.

Como saber se seu bichinho está com carrapato?

Por serem maiores, ao fazer carinho ou escovar seu animal é possível perceber se há carrapatos nos animais.

Dica: É muito comum que os carrapatos se alojem debaixo das orelhas, focinho, pescoço e entre os dedos das patas dos animais.

Como os animais pegam carrapatos?

– Contato com animais ou em ambientes com vegetação, folhas e madeira contaminados;

Assim como as pulgas, os carrapatos também permanecem por muito tempo em ambientes contaminados mesmo sem a presença de um animal. Evite deixar seu bichinho passear ou brincar em locais com grama alta ou muita madeira e folhas acumuladas.

Nos imóveis, eles preferem se alojar em locais mais altos, em frestas e cantos, reentrância de muros, embaixo de telhas e até na cobertura dos canis. Realizar a dedetização do ambiente antes de se mudar para uma casa nova pode ajudar muito a evitar a contaminação do seu animal.

O que fazer ao encontrar um carrapato?

Se você encontrar um carrapato em seu bichinho, em sua casa ou em você mesmo, retire-o imediatamente.

Para isso, use luvas e uma pinça e coloque o carrapato em um recipiente com álcool para matá-lo. Não aperte o carrapato, pois você pode se contaminar com o sangue ingerido pelo parasita. Também não o jogue diretamente no vaso sanitário, pois ele não irá morrer e continuará infectando outros animais.

Pulgas

As pulgas são parasitas que se alimentam do sangue. Elas são pequenas e amarronzadas, se movimentam muito rapidamente e possuem a capacidade de saltar. Podem transmitir doenças e causar irritações de pele.

Como saber se seu bichinho está com pulga?

Você não precisa esperar seu cachorro começar a se coçar excessivamente para verificar se ele está com pulgas. Faça inspeções rotineiras por todo o pelo do seu animal. Se encontrar pulgas ou suas fezes, é preciso agir.

Dica: Pulgas gostam de se instalar em lugares quentes e abafados, então, é muito comum encontrá-las nas orelhas, pescoço, barriga e próximo a cauda dos animais

Como os animais pegam pulgas?

– Contato com animais, ambientes ou objetos infectados;

Imóveis nos quais já moraram animais contaminados podem ainda ter ovos de pulga em frestas no assoalho, cantos da casa, móveis de madeira com reentrância, carpetes e tapetes. Antes de levar seu bichinho para esse ambiente, é recomendado que se realize uma boa limpeza, com uso de aspirador de pó, e realize a dedetização da área.

Como eliminar carrapatos e pulgas?

Quando descobrimos uma infestação de carrapatos ou pulgas em nossos animais, apenas 5% do problema está concentrado no bichinho. Os outros 95% já estão espalhados pela casa, tapetes, roupinhas, brinquedos e caminhas dos pets. Por isso, devemos sempre tratar todo o ambiente e não apenas o cão ou gato.

Neste vídeo o Alexandre Rossi dá dicas de como cuidar e evitar doenças parasitárias:

 

 

No mercado, existem vários tipos de produtos que ajudam a eliminar esses parasitas. Confira alguns tipos:

Para tratar o animal:

Shampoos e sabonetes antipulgas e anticarrapatos – só matam as pulgas e carrapatos que entram em contato com o produto na hora do banho, não possuem efeito prolongado.

Coleiras antipulgas e anticarrapatos podem agir por semanas e, além de matar os parasitas, impedem que pulgas e carrapatos se alojem no animal.

Pipetas – Produtos de aplicação direta no pelo do animal e com efeito prolongado. Não recomendado para uso em filhotes.

Comprimidos Oferecem um longo tempo de duração de proteção ao animal. Pulgas e carrapatos morrem logo ao morderem o animal, o que impede que eles coloquem ovos.

Para tratar o ambiente:

Atenção! Esses produtos devem ser usados apenas no ambiente. Jamais use-os direto no animal.

Talco antipulgas – para ser usado no aspirador de pó.

Sprays, aerossóis e inseticidas – Observe se o produto é específico para eliminar pulgas e carrapatos. Siga corretamente as instruções de uso do fabricante.

Caso considere necessário, você pode contratar uma empresa dedetizadora para realizar o trabalho de desinfestação do ambiente.

Recomendamos:

     

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Dia Mundial da Saúde: pets também precisam de cuidados

Photo credit: Magnus Bråth / Foter / CC BY
Photo credit: Magnus Bråth / Foter / CC BY

No dia 7 de abril, comemora-se o Dia Mundial da Saúde. Assim como os humanos, os cães também precisam ter uma alimentação saudável e uma rotina de exercícios físicos para manter o bem-estar lá em cima.

Se o seu pet for daqueles que comem sem parar, é importante que você comece a equilibrar essa balança. O primeiro passo é manter uma rotina de visitas ao veterinário, para avaliar se a saúde dele está certinha.

Segundo, dê sempre a quantidade certa de alimento ao animal – aquela indicada na embalagem da ração! A qualidade do produto também não deve ser esquecida.

Outro ponto importante é não dar alimentos de humanos para os bichinhos! Muitos cães desenvolvem o hábito de “pedir” comida: basta sentir um cheirinho diferente que ele encosta no dono e que provar também a guloseima. Resista! Além de contribuir para a obesidade dele, alguns alimentos podem fazer muito mal aos pets.

Exercícios e brincadeiras também não podem faltar. Invista em enriquecimento ambiental e passeios. Fará bem para o amigo e, também, para o dono!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0