Valor da troca

Foto: Bob Haarmans
Foto: Bob Haarmans

Muitas pessoas acreditam que seu cachorro obedecerá a elas e mudará seu comportamento em troca de um simples afago ou de uma palavra carinhosa. Pelo fato de serem muito afetivos, esse agrado é suficiente para alguns cães, levando em conta sua índole e o grande valor que dão para os donos, mas isso não se aplica em todos os casos ou a todas as situações. Por isso, usamos a técnica da troca!

O que é a troca?

A troca é muito importante na hora do treinamento, pois incentiva o animal a mudar o comportamento, simplesmente pelo fato de querer muito que está sendo oferecido a ele. Muitas vezes, o que parece uma troca incrível para você, pode não ser tão interessante para o seu cão e, por isso, é indispensável que você preste muita atenção em tudo o que ele mais gosta: o brinquedo favorito, o petisco que ele mais adora e etc. Na hora do treinamento, essas trocas devem valer a pena para o seu pet, justificando a mudança de atitude pelo prêmio ou recompensa oferecido. Ah, e elas devem ser positivas do ponto de vista do animal, e não do dono!

Como aplicar no treino

Antes de qualquer coisa, é preciso saber que os cachorros estão sempre aprendendo, por isso, não obrigue o animal a obedecer em troca de qualquer coisa. Isso diminui o valor da troca e retarda o treinamento. Quando se der conta de que aquela troca não vale a pena para o seu cão, não insista. Procure outras estratégias e objetos que tenham um valor maior para ele.

Imagine que o seu cão está brincando com outros, a diversão é grande e, de repente, você o chama. Ele responde ao seu chamado imediatamente e, quando chega junto de você, ganha apenas um biscoitinho que ele não vê a mínima graça. Quando isso acontece, o cachorro entende que cometeu um erro, que não deveria ter atendido ao chamado, pois perdeu o tempo de brincar em troca de um petisco sem graça. Isso prejudica o treinamento e diminui as chances de seu cachorro responder aos comandos rapidamente.

Recompensas

Existem inúmeros objetos e atividades que podem ser utilizados, mas as trocas mais eficazes se dão com as coisas que o cão já demonstra grande interesse, como petiscos, passeios, brinquedos ou um passeio de carro.

Petiscos e ração podem ser utilizados como recompensa, principalmente em casos de treinamentos mais intensivos. Algumas pessoas se preocupam em desequilibrar a dieta do cão, mas isso pode ser facilmente evitado se separarmos a ração na quantidade que ele deve comer em cada refeição e usarmos essa porção durante o treino.

Objetos como bolas, kongs, bichinhos e ossinhos costumam deixar o cão muito animado, muito mais do que quando oferecemos um petisco, e devemos tirar vantagem disso para melhorar o desempenho e a rapidez com que ele executa um comando. Lembre-se: a melhor recompensa é sempre o que o seu cão mais deseja naquele momento.

Fonte: livro Adestramento Inteligente, de Alexandre Rossi.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0

Arte de ignorar: não recompense o pet pelos comportamentos errados

arte-de-ignorar

O cãozinho pegou o seu chinelo e saiu correndo? Saiba que, correr atrás dele, em vez de ter um efeito “punitivo”, pode dar a ele algo que ele realmente busca: sua atenção!

As broncas devem impedir os comportamentos errados e não punir o cão por ter feito algo. É importante que elas sejam dadas no momento exato – broncas tardias não funcionam -, e não assustem, machuquem ou traumatizem o cão.

Na prática

– Não atropele os ensinamentos. A paciência, aliada ao treinamento gradual, assegura um adestramento mais bem-sucedido.

– Ensine o conceito do NÃO para o seu cão, para facilitar o treino. Coloque um pedaço de petisco no chão e toda vez que o cão tentar pegá-lo, impeça, segurando-o pela guia, fazendo uma barreira com a mão ou utilizando um borrifador e falando o NÃO. Repita o treino e, se o cão desistir de roubar o petisco, recompense-o com outro pedaço. Assim, ele entenderá que quando você fala NÃO, ele deve parar o que está fazendo.

– Utilize broncas despersonalizadas para comportamentos errados no ambiente, como destruição de móveis, jardins, roubo de comida. São eficazes, pois o cão não associa a bronca a uma pessoa. Exemplo: toda vez que o cão se aproximar de um móvel para roê-lo, faça um barulho com um chocalho de lata, para interromper o comportamento. Faça isso todas as vezes e dê muitos brinquedos para que o cão tenha o que fazer.

– Ensine diversos comandos e, em vez de esperar o cão fazer algo de errado, como pular nas visitas, peça o comando antes – o “senta”, por exemplo. É melhor ensinar algo novo e recompensar o cão pelo bom comportamento, pois, dessa forma, ele aprende melhor e mais rápido.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0