Síndrome das alturas

Photo credit: nanaow2006 / Foter / CC BY
Photo credit: nanaow2006 / Foter / CC BY

Por Alexandre Rossi, especialista em comportamento animal. 

As pessoas associam gatos com habilidade para lidar bem com altura. Poucas imaginam que seu próprio gato poderá um dia cair ou se jogar de um lugar alto demais, como do vigésimo andar. Por isso, não se preocupam em tomar precauções para protegê-lo. Mas, infelizmente, gatos caem de janelas de prédios altos com relativa freqüência. E muitos proprietários só ficam sabendo que o felino deles corria esse perigo depois de o perderem.

“Epidemia” na primavera
Nos Estados Unidos, com a primavera vem um aumento significativo da quantidade de gatos que sofrem queda de edifícios. É quando muitos donos dão, involuntariamente, condições para que esses fatos aconteçam, ao abrirem suas janelas após um inverno rigoroso. Por isso, a American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (ASPCA) costuma alertar proprietários de gatos de todo o país, no início da primavera, sobre esses acidentes, para evitar que as quedas se tornem “epidemia”.

Aterrissagem surpresa
Na maioria dos acidentes, os gatos não se jogam. Eles caem. Muitos deles têm o hábito de pular para chegar na sacada de uma janela e acabam escorregando na aterrissagem, por distração ou por haver algo diferente no local onde costumam se apoiar. Por exemplo: orvalho, um objeto novo no beiral ou ausência de um ponto de apoio presente até então, como um aparelho de ar-condicionado. Gatos com aptidões físicas restritas, como os mais idosos e os muito novos, correm muitos mais riscos.

Pior que pesadelo
Os gatos também têm, como nós, diversas fases de sono, inclusive a REM, quando sonham. Nesses momentos podem fazer movimentos inconscientes e cair se estiverem num beiral.

Tudo por uma caçada
Um inseto ou passarinho no lado de fora do apartamento podem atrair tanto a atenção do gato a ponto de ele tentar caçar e acabar caindo. Esse tipo de acidente é muitíssimo comum com filhotes que querem brincar com tudo e ainda não desenvolveram bem o equilíbrio.

Em busca de aventura
Alguns gatos podem pular de propósito da janela, querendo apenas dar uma voltinha, principalmente quando o apartamento não é muito alto. A chance de isso acontecer aumenta entre os machos não castrados, as fêmeas no cio e os gatos que viveram parte da vida soltos.

Equipado para quedas
Os gatos desenvolveram comportamentos específicos, fisiologia e anatomia próprias para enfrentar quedas grandes. Mas podem se machucar até mesmo num pulo ou numa queda de pouco mais de um metro. Principalmente quando são idosos ou obesos. É comum que os gatos mostrem receio de saltar alturas a partir de dois metros, mas podem optar por enfrentar alturas bem maiores se não encontrarem alternativa.

Quando em queda livre, por meio de uma rotação que se inicia pela cabeça, esses felinos conseguem ficar em décimos de segundo com as patas para baixo, a partir de qualquer posição. Além disso, suas patas funcionam como potentes amortecedores, com musculatura capaz de absorver o impacto do corpo até uma velocidade próxima a 90 km/ h. Essa velocidade é atingida por um gato ao cair do 6º andar de um prédio.

Pára-gatos
Um estudo publicado no Journal of the American Veterinary Medical Association, em 1987, examinou 132 casos de gatos que caíram de janelas (altura média equivalente a 5,5 andares) e constatou que 90% deles sobreviveram.

Quanto maior a altura das quedas, mais ferimentos e ossos quebrados os gatos apresentaram. Mas o incremento ocorreu até a altura equivalente a sete andares, quando os ferimentos, em vez de aumentar, começaram a diminuir! Ou seja, um gato que cai do 20º andar tem mais chances de sobreviver do que um gato que cai do 7º andar! Como isso é possível? Estudos mostraram que quando o gato cai do 6º andar, atinge a sua velocidade máxima de cerca de 90 km/h em queda livre pouco antes de tocar o solo. Depois que essa velocidade é atingida, a resistência do ar se torna tão grande que impede maior aceleração. Portanto, o impacto de cair do 6º andar ou de cima das nuvens é o mesmo, em se tratando de um gato.

O motivo que leva o gato a se machucar menos quando cai de mais alto é bastante discutido. A teoria mais aceita é que o sistema de amortecimento funciona melhor após alguns ajustes que são feitos durante a queda. Com mais tempo para se organizar, o gato consegue tornar mais eficiente o uso de seu corpo e obter um melhor efeito de amortecimento.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn