Quando nosso companheiro felino envelhece

Photo credit: lukeroberts / Foter / CC BY
Photo credit: lukeroberts / Foter / CC BY

Por Alexandre Rossi, especialista em comportamento animal.

Mais cedo ou mais tarde, o peso da idade se manifesta no gato. Saiba como o processo evolui e veja as dicas de Alexandre Rossi para proporcionar melhor qualidade de vida ao bichano nessa fase.

Gatos vivem uns 15 anos. Normalmente, o envelhecimento se torna perceptível a partir dos 12 anos de idade. A aparência pouco muda, mas ocorrem alterações gradativas de comportamento (se forem bruscas podem significar doença; na dúvida, consulte um médico-veterinário).

As mudanças típicas do envelhecimento podem ser sutis a ponto de demorar bastante para serem percebidas. De repente, nos damos conta de que o gato parou de pular nos móveis mais altos ou que parece não estar mais enxergando ou ouvindo tão bem. E só aí fica evidente que o tempo passou…

Observar atentamente é a maneira que todo proprietário tem para detectar, desde início, as alterações comportamentais do gato idoso. Com esse procedimento é possível minimizar dificuldades na rotina diária do felino e prevenir complicações se houver problema de saúde.

Estímulos e proteção
É normal que o ritmo do metabolismo do gato diminua com a idade. Com isso, ele dorme mais e precisa de menos alimento. Há também a redução da acuidade dos sentidos, diminuindo a sensibilidade nos aromas e reduzindo o prazer de comer. Uma dica é preservar ao máximo o odor da ração mantendo-a em potes hermeticamente fechados. Para tornar mais perceptível o cheiro de comida úmida guardada em geladeira, aqueça-a antes de servir. Evidenciar o aroma facilita também a aceitação de alimento diferente do habitual. Outro cuidado é deixar sempre o gato velhinho dentro de casa. Isso é ideal para evitar que ele apanhe de outros gatos, se envolva em acidentes ou seja atropelado.

Ambiente Amigável
Leve em conta que o gato, para não mostrar fraqueza, é especialista na arte de disfarçar dores e dificuldades. Ao mesmo tempo, à medida que os anos passam, ele fica mais sujeito a problemas de locomoção e se torna menos ágil.
Por isso, aconselho que, a partir dos 12 anos, seja proporcionado ao gato um ambiente adequado a restrições físicas, mesmo que não haja sinais delas. Esse ambiente deve se caracterizar pelo aconchego e pela facilidade de acesso. É preciso também que os potes de água e de comida, bem como a caixa de areia e o que mais for essencial para o gato, sejam alcançados com facilidade. Cuide, ainda, para que o local esteja protegido de outros animais que possam importunar.

Resguardo de mudanças
Sempre que móveis são arrastados ou mudados de posição, mantenha o gato que chegou à velhice num ambiente menos, longe de confusão, para não aumentar a insegurança dele. Ponha nesse refúgio temporário tudo que lhe for essencial. E só o deixe sair após o término da faxina.

O hábito, bastante comum, de introduzir em casa um cachorrinho ou outro gatinho para ficar com o gato quando ele se torna mais velho não é boa idéia. As mudanças causadas pela chegada de um animal podem prejudicar o bem-estar do gato idoso nessa fase, apesar dos benefícios que um companheiro pode proporcionar.

Auxílio com a higiene
Se o gato era capaz de se manter perfeitamente limpo por conta própria e começar a mostrar dificuldade para se limpar, ajude-o. Sempre que for necessário, faça uma boa escovação dele.

Problemas comuns
Há alguns males comuns em gatos mais velhos. Perceber no começo a manifestação de uma doença fica mais fácil quando se está atento aos sinais de mudança. Outra maneira é submeter o gato a checapes veterinários periódicos. Sintomas como perda de peso e aumento no volume de urina podem significar diabete. O aumento das atividades é um dos sinais de hipertireoidismo. Também são freqüentes problemas com os dentes dos animais de estimação, já que é raríssimo encontrar pessoas que realmente os escovam.

Resumo
– Observar o comportamento do gato pode ajudar a perceber se ele está com problema de saúde.
– A partir de 12 anos de idade, os gatos podem mostrar sinais de envelhecimento.
– Evite que o gato vá para a rua, pois poderá se envolver em acidentes mais facilmente.
– Evite mudanças drásticas na casa e na rotina do gato.
– Ajude-o na higiene.
– Esteja atento a sinais de doenças como o hipertireoidismo e a diabete.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn