Quando é hora de consultar um especialista em comportamento animal

dicas_interna_ajuda_adestramento

A educação do pet exige dos donos muito carinho e persistência. Isso porque é preciso mostrar ao animal os comportamentos indesejados que ele apresenta e conduzi-lo pelo caminho esperado. Para que isso aconteça, a comunicação entre pet e dono deve estar bastante alinhada – o que, muitas vezes, não acontece.

Alguns donos podem se perguntar: “por que ensinar o meu cão é tão difícil?”, “já fiz tudo que me indicaram para fazer, mas, mesmo assim, ele parece não entender o local correto do banheiro e continua latindo sem parar”. Se você se identificou com esse cenário, não fique triste ou desanimado.

“Na realidade, cães de raças diferentes podem ter comportamentos distintos. O desenvolvimento comportamental é o resultado das interações entre fatores genéticos e ambientais (o modo que o dono cria)”, esclarece a adestradora da Cão Cidadão, Karina Pongracz. “Os donos, muitas vezes, passam a informação errada diante determinada situação, como, por exemplo, quando o proprietário faz carinho ou entrega um petisco para acalmar o animal, para ele não latir ou rosnar. Nesse caso, está servindo como reforço e, no futuro, isso pode piorar muito”, completa.

O que fazer?

O primeiro passo é não se sentir irritado por não conseguir ensinar o que quer para o animal. Como dito anteriormente, o comportamento do pet é influenciado por uma série de fatores. O fundamental é identificar o que está motivando a atitude do bichinho e, assim, traçar uma comunicação clara e consistente com ele. Conte com a ajuda de um especialista em comportamento animal para isso!

“Cabe ao dono prestar atenção no temperamento do animal e perceber quando o comportamento está se tornando prejudicial, principalmente quando, sozinho, o dono não está conseguindo encontrar nenhuma solução”, indica a adestradora. “Latidos excessivos, destruição de objetos, agressividade territorial, dominância, perseguição (ficar seguindo o dono pela casa), lambedura de patas ou quando o cão fica correndo atrás do próprio rabo são alguns dos sinais de que algo esta errado com seu pet”, acrescenta.

Importância do adestramento

O adestramento é uma ferramenta fundamental na educação do pet, pois além de eliminar comportamentos indesejados, ajuda a melhorar a convivência e a comunicação do animal com a família.

Após procurar ajuda de um profissional de comportamento animal, é importante que a família do pet colabore com o adestrador e siga as orientações dadas.

“O profissional precisa que o dono fale a mesma língua que o cão”, explica Karina. “O adestrador fica uma ou duas vezes por semana na casa da pessoa, no máximo por 1 hora, por isso, o dono e todos da casa serão peças-chave para colocar em prática os treinos no dia a dia.”

O comportamento do animal não muda da noite para o dia, é preciso dedicação. O adestramento leva tempo, por isso, nada de impaciência. “Não tenha pressa e também não se frustre se estiver tento dificuldades. Lembre-se que não adianta gritar ou bater no animal. As primeiras lições devem ser divertidas e prazerosas para ambas as partes”, finaliza.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn