Como receber o novo pet?

dicas_interna-chegada-do-pet

Mudanças de ambiente sempre são um tanto quanto estressantes para os animais. Quando se adota um novo cão ou gato, o momento de levá-los para casa e apresentá-los ao novo espaço é muito delicado e deve ser bem planejado. Isso porque, por conta de tantas novidades e mudanças na rotina, é provável que os pets fiquem estressados, o que pode causar transtornos de comportamento.

Quando situações como essa acontecem, é fundamental tomar certos cuidados para garantir o bem-estar do animal durante esse momento de transição. O especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, deu algumas dicas sobre o assunto:

• Um dos principais pontos é garantir a segurança: vale a pena conferir o ambiente e checar se existem lugares por onde o pet pode escapar ou se colocar em perigo.

• No caso de um apartamento, é importante telar as janelas para evitar que o gato ou o cachorro pulem ou escorreguem e acabem se acidentando.

• É importante manter a dieta correta para o animal e a rotina de horários de alimentação.

• Leve alguns objetos com o cheiro da outra casa, ou do outro ambiente em que o cão ou gato morava anteriormente, porque, assim, ele se sentirá mais confortável.

• Tenha à disposição tudo o que o animal precisa: ração, caminha, banheirinho próprio para a espécie (caixa de areia para os gatinhos e tapete higiênico para os cães), brinquedos, petiscos, potes de ração e água.

• Em vez de liberar a casa inteira para o bichinho de uma só vez, manter o pet em um quarto até que ele se acostume e se sinta confortável é fundamental para evitar o estressa durante a adaptação. No caso dos gatos, como são obsessivos com o controle do espaço, deixá-los à vontade na casa toda pode fazer com que fiquem ainda mais ansiosos.

Procurar a ajuda de um profissional de adestramento durante esse momento de mudanças pode ajudar e muito. O profissional auxiliará de forma segura e agradável o pet a se adaptar à família e ao ambiente novo, sempre respeitando os limites do animalzinho.

Com muito amor e paciência, é possível realizar essa transição com tranquilidade. Boa sorte!

Gostou da dica? Se quiser contratar os profissionais para realizar o adestramento, fale com a Central de Atendimento da Cão Cidadão, pelos telefones: (11) 3571-8138 (São Paulo) e (11) 4003-1410 (demais localidades).

Cães e gatos podem ser amigos?

dicas_interna-cao-e-gato

A convivência entre cães e gatos não é mais tão difícil quando se pensava, e o mito de que eles são inimigos já perdeu a validade há muito tempo. Porém, em certas situações, é possível que alguns conflitos aconteçam, caso os pets não sejam treinados da maneira correta para conviverem em harmonia.

Esse foi o caso da cliente Luciana Vilela. Em um primeiro momento, Luciana procurou a Cão Cidadão para ajudá-la com o comportamento dos cães, que apresentavam sinais de agressividade, medo e falta de sociabilização, porém, o trabalho acabou se estendendo quando a tutora resolveu adotar novos peludos, mas, dessa vez, de outra espécie. “Após se planejar e tirar as dúvidas, ela adotou dois gatos irmãos de três meses de idade. Foi aí que começamos as aulas de sociabilização”, conta a adestradora da equipe Cão Cidadão, Nathália Camillo.

Sociabilização

A apresentação entre os animais é o primeiro passo para garantir a boa convivência e a amizade entre eles. Esse foi o pensamento da adestradora, que, além de treinar os cães com seus problemas comportamentais individuais, iniciou um treino de sociabilização com os felinos também. “Começamos as aulas com apresentações individuais dos cães aos gatinhos dentro da caixa de transporte. Utilizamos muito reforço positivo para ambos, sempre respeitando a zona de conforto de cada um”, relembra Nathália.

Aos poucos, os gatos se acostumaram com a presença dos cães e cada peludo foi progredindo individualmente. Isso só foi possível por conta do método de Adestramento Inteligente, técnica criada pelo zootecnista e especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, usada pelos profissionais da Cão Cidadão. Essa técnica se baseia em valorizar as atitudes corretas do pet e não as erradas, criando associações positivas entre os bichinhos. “Em apenas três semanas já conseguimos deixar todos soltos na sala por várias horas, mas com a supervisão dos tutores”, explica a adestradora.

Envolvimento

Para alcançar esses resultados e criar um ambiente tranquilo e harmonioso para os pets, os tutores também tiveram sua (grande) parcela de responsabilidade, uma vez que é preciso dar continuidade aos treinamentos, mesmo sem a presença do profissional. “Me envolvi 100% no adestramento. As orientações da Nathália sempre me ajudam muito. Muitas vezes, uma dica simples faz toda diferença”, afirma a cliente Luciana.

“Receber os vídeos dos treinos de sucesso durante a semana é muito recompensador. Ainda estamos caminhando, mas nosso objetivo é deixar todos à vontade e com acesso total ao apartamento”, finaliza Nathália.

Dica

A ajuda de um adestrador é indispensável. Com o adestramento, é possível minimizar e até eliminar problemas de comportamento dos animais!

Gostou desta dica? Se quiser contratar os profissionais em comportamento animal para realizar o adestramento, fale com a Central de Atendimento da Cão Cidadão, pelos telefones: 11 3571-8138 (São Paulo) e 11 4003-1410 (demais localidades).

NÃO VÁ AINDA!!

Agende agora mesmo uma primeira aula gratuita (on-line ou presencial) com um dos nossos adestradores!!