Como impor limites ao pet?

dicas_interna-impor-limitesSe engana quem pensa que ensinar limites e regras aos bichos de estimação significa privá-los do próprio bem-estar ou transformá-los em robôs.

“Estabelecer limites não é sinônimo de violência. Assim como crianças precisam de regras, o mesmo princípio se aplica aos nossos animais, para que eles sejam mais educados, saibam lidar com frustrações e, também, para evitar acidentes”, explica a adestradora da equipe Cão Cidadão, Amanda Ornelas.

Além de ajudarem na educação do cão, os limites facilitam o entendimento dos comportamentos que são esperados dele pela família.O dono deve agir sempre com coerência, dedicação e consistência.

“Esse comportamento deve ser adotado por todos da família, em tempo integral. Caso contrário, se apenas um membro da família não deixar o animal subir no sofá , pode ter certeza de que a comunicação não estará alinhada o suficiente. O cão continuará testando e não respeitando as regras e, nesse caso, não poderemos culpá-lo, não é mesmo?”, questiona a profissional.

Adestramento

Em momentos como esse, é muito importante buscar a ajuda de um adestrador. O profissional poderá avaliar o problema e ajudar a família a colocar em prática tudo aquilo que o pet precisa aprender.

“Os treinos vão ajudar o tutor a entender melhor a forma como os cães aprendem, a identificar de que maneira estamos reforçando os comportamentos indesejados e como podemos reverter a situação”, esclarece Amanda.

A participação do tutor durante o adestramento é indispensável, pois, assim, o animal aprenderá a respeitar os limites propostos pela própria família, e não apenas pelo adestrador.

“Não adianta o cão respeitar a adestradora e não fazer o mesmo pelos membros da família com quem ele convive diariamente”, reforça. “Por isso, a participação e a execução de tarefas propostas ao longo do adestramento pelos tutores fará toda a diferença no resultado esperado pela família”, finaliza.

Dicas que podem melhorar o processo de educação do pet:

1. O adestramento vai, acima de tudo, ajudar o tutor a estabelecer uma comunicação mais clara com o cão, e estreitará o vínculo entre ele e os membros da família.

2. Ensine alguns comandos básicos, como o SENTA, DEITA e o FICA. Sempre que o cão quiser alguma coisa, peça que ele execute algum dos comandos antes de atendê-lo. Fazer com que o animal “trabalhe” para receber o que quer, além de divertido, irá estimulá-lo física e mentalmente, além de diminuir as chances de ele apresentar comportamentos inadequados para conseguir o que quer.

3. Outra forma de exercitar o limite é, sempre que for alimentar o cão, peça para que ele se sente e espere alguns segundos antes de oferecer a comida. Essa espera o ajudará a adquirir autocontrole.

Essas pequenas atitudes farão com que o animal aprenda a controlar a sua ansiedade e a respeitar regras que existem para garantir o bem-estar dele e a boa convivência com a família.

Gostou desta dica? Se quiser contratar os profissionais em comportamento animal para realizar o adestramento, fale com a Central de Atendimento da Cão Cidadão, pelos telefones: 11 3571-8138 (São Paulo) e 11 4003-1410 (demais localidades).

Benefícios de adotar um cão mais velho

dicas-interna-caes-adultos

Com o passar dos anos e diante da modernização da medicina veterinária, muitos cães têm envelhecido de maneira mais saudável, superando as suas expectativas de vida. Apesar disso, as pessoas tendem a evitar a adoção de cães mais maduros, por medo de gastos com cuidados extras e dificuldades de adaptação em um novo lar.

Essas preocupações, apesar de também existirem na hora de adotar um cão de qualquer idade, acabam fazendo com que os mais velhos fiquem para trás nos abrigos. Mas, a adoção de animais mais maduros têm diversos benefícios.

“Um cão adulto já tem um perfil bem definido, fazendo com que seja mais fácil descobrir qual se adaptará melhor ao estilo de vida do tutor”, explica o adestrador da equipe Cão Cidadão, Maurício Choinski.

Se você é do tipo que curte uma rotina mais tranquila, um cão calmo será o ideal. No caso de pessoas esportistas, animais com mais energia são perfeitos para acompanhá-las em caminhadas e passeios no parque.

Apesar de carregarem alguns vícios comportamentais, os animais adultos, quando treinados da maneira correta, podem aprender tão facilmente quanto os filhotes. É aí que entra a importância do adestramento:os cães, independentemente da idade, estão sempre aprendendo. Com a ajuda de um profissional, o adestramento do cão facilitará a sua adaptação no novo lar e melhorará a comunicação entre pet e tutor.

Cuidados

“Para um envelhecimento saudável do seu cão, é preciso tomar alguns cuidados, bem semelhantes a que nós, humanos, temos que ter”, explica Maurício. “O segredo para mantê-los sempre sadios é a visita constante ao médico veterinário e a busca por diagnósticos precoces”, acrescenta.

Além disso, para o bem-estar dele e dos membros da casa, é importante manter uma rotina de banhos, uma boa alimentação, passeios diários, atividades estimulantes e muito mais.

Companheiro perfeito

Esses animais também se tornam ótimos companheiros para os tutores que preferem uma vida mais tranquila.

“Qual cão não gosta de ficar aos pés do dono enquanto ele assiste televisão, lê um livro ou atualiza a rede social? Para idosos que têm mais tempo livre, cuidar de um cão também mais velho e que depende de ajuda pode até melhorar sua autoestima”, reforça o adestrador.

A convivência com animais pode ajudar, e muito, os idosos (assim como pessoas de qualquer idade), incentivando-as a se socializarem e a aumentarem a quantidade de exercícios.

“Nesse processo, inevitavelmente há uma grande troca de afeto e carinho. Todo investimento feito na qualidade de vida de um cão idoso retorna em lambidas de gratidão”, finaliza.

Gostou desta dica? Se quiser contratar os profissionais em comportamento animal para realizar o adestramento, fale com a Central de Atendimento da Cão Cidadão, pelos telefones: 11 3571-8138 (São Paulo) e 11 4003-1410 (demais localidades).

Alexandre Rossi realiza palestra gratuita na Petz Jaguaré

noticias_interna_petz_jaguare No dia 24 de setembro, às 15h, o zootecnista e especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, estará na Petz Jaguaré, em São Paulo, para uma palestra sobre o universo pet.

A duplinha, Estopinha e Barthô, estará presente para auxiliá-lo durante a palestra e também para participar de uma sessão de fotos logo que ela terminar.

O encontro é gratuito e a presença dos bichos de estimação é muito bem-vinda. Para mais informações, clique aqui.

Esperamos por você!

NÃO VÁ AINDA!!

Agende agora mesmo uma primeira aula gratuita (on-line ou presencial) com um dos nossos adestradores!!