Como acostumar o cão a dormir na caminha?

caminha

É muito comum o dono comprar uma caminha ou uma casinha nova, e o cão não usar. No começo, pode ser um pouco difícil para ele se acostumar a dormir sozinho, mas é possível que, aos poucos, ele se adapte e acabe gostando de ter um cantinho só dele!

Mas, o que fazer com os cães que estão acostumados a dormir com os donos? Como acostumá-los à caminha deles?

Estimule o cão para que ele vá até a caminha, jogando um pedacinho de petisco. Quando o cachorro estiver nela, elogie e faça carinho. Com isso, ele terá uma associação positiva com esse espaço. Deixe a cama na sala por alguns dias e incentive que o cachorro fique lá.

Depois, a leve para o quarto e, quando ele subir na cama, o coloque novamente na caminha. Com algumas repetições, ele entenderá que deve dormir na caminha dele e o processo será mais rápido, porque ele já estará acostumado a usá-la.

Lembre-se de elogiar e dar atenção quando o cãozinho estiver na caminha: comportamentos que são estimulados, se repetem e sempre são mais agradáveis.

Curiosidades da Copa: Willie, o primeiro!

copa-mascotes_internaVocê sabe me dizer quando foi criado o primeiro mascote da Copa? Não?

O primeiro mascote foi criado para a Copa de 1966, na Inglaterra, e foi um leão, chamado Willie! O criador, Reg Hoye, usou a imagem do animal para fazer uma homenagem ao seu filho, chamado Léo. Além do leão, ele apresentou outros três projetos, mas o Willie foi o grande vencedor.

Ao mesmo tempo em que simbolizava os interesses nacionais do país anfitrião, Willie era uma maneira de mostrar ao resto do mundo que o evento seria diversão garantida para todos.  O leão ainda apareceu em desenhos, que foram usados para promover o torneio, e foi o tema da música oficial da competição.

Fonte: Fifa e R7. 

Vai ter jogo e meu pet tem medo de fogos: e agora?

 Photo credit: ironypoisoning / Foter / CC BY-SA
Photo credit: ironypoisoning / Foter / CC BY-SA

Por Tarsis Ramão, adestradora da equipe Cão Cidadão.

Entenda por que, para alguns cães, certos barulhos podem ser tão aterrorizantes e aprenda como amenizar esse problema.

Tá chegando a hora do tão esperado Mundial de Futebol no Brasil. Tudo pronto para a torcida, menos para seu cão que, em dia de jogos ou de grandes comemorações, se comporta de forma um tanto estranha. Baba, treme, fica ofegante e quase sempre tenta se esconder em um espaço em que ele não cabe.

Essa reação, em princípio esquisita, pode ser porque seu cão tem medo dos grandes barulhos causados nesses dias. Muitos cãezinhos também reagem assim nos dias de chuva, com os ruídos dos trovões.

Diferentemente do que muitos imaginam, um comportamento aflito diante de fogos ou trovões não se deve a uma possível dor de ouvido. Apesar da ótima audição, os cães se assustam porque associam o barulho à aproximação de perigo.

Estrondos passam a ideia de que algo grande e poderoso se aproxima, por isso, mesmo dentro de casa, muitos cães se sentem ameaçados.

Medo de fogos

Em situações em que o susto é muito grande, o cão pode acabar desenvolvendo um trauma. Nesses casos, mesmo ruídos mais brandos podem deixá-lo em pânico, porque estão associados com o susto inicial. Há casos em que a umidade do ar, o vento e a mudança da luminosidade são associados com o perigo de barulhos altos. Ou seja, antes mesmo de a tempestade começar, o cão já pode estar sofrendo.

Como ajudar seu cãozinho?

Esse realmente é um problema que pode ser difícil de resolver, mas não desanime! Algumas atitudes e treinamento podem amenizar e até mesmo curar o medo que seu animal de estimação tem de certos barulhos.

Um local seguro e agradável

Se o seu cão procura um lugar para se abrigar quando está com medo, permita que ele fique lá. Além disso, se possível, crie um espaço para ele ficar nesses dias, com janelas e portas vedadas para abafar o som externo.

Se esse lugar for seu quarto, ótimo! Um ambiente associado a uma pessoa que ele adora pode ajudar seu amigo a se sentir mais seguro. Habitue-o a ouvir sons altos da TV, rádio ou música mesmo. Esses sons podem ser usados para “mascarar” os barulhos de fogos e trovões. Brincar e divertir o seu cão nesse ambiente, também em dias sem barulhos, pode ajudá-lo a associar o local com sensações agradáveis.

Não demonstre medo

Abaixar, pegar no colo e tentar protegê-lo nos momentos de aflição, ao contrário do que muitos imaginam, não é uma boa solução. Sua postura corporal significa muito para os cães e, quando você agacha, pode transmitir a ele que também está com medo do perigo que se aproxima. Diante de um estrondo, mantenha-se em pé e caminhe firme, falando naturalmente com o seu cão.

Ajude-o a se acostumar aos poucos

Para que seu pet aprenda a lidar com barulhos que o assustam é preciso que ele faça associações positivas com esses momentos. Quando ouvir um barulho parecido com o que o assusta, comemore com ele: dê petiscos, elogie-o, faça carinho ou brinque com ele.

Você pode simular ocasiões parecidas com as de tensão, gravando sons que o desagradam e os reproduzindo em momentos agradáveis, aumentando o volume de forma gradativa, para não assustá-lo, respeitando seus limites.

Aos poucos, ele pode associar o barulho, que antes representava perigo, a situações muito prazerosas.

Converse com seu veterinário!

Em alguns casos, o uso de medicamentos pode ser indicado paralelamente ao treinamento. Consulte seu veterinário, para que ele receite um remédio para ajudar a tranquilizar o seu cão em dias barulhentos, evitando novos traumas.

Fonte: Pet Center Marginal.