Para continuar habilite o JavaScript






O que levar em conta ao adotar um pet para pessoas idosas?

dicas_interna_idosos

Adotar um animal é sempre um momento de alegria, porém, quando se trata de escolher um cãozinho para uma pessoa idosa, é necessário levar em consideração alguns aspectos.

“Sempre que pensamos em características das raças, imaginamos a função que o cão exercerá junto ao idoso, associando a ideia a uma vida mais calma”, diz o adestrador da equipe Cão Cidadão, Maurício Choinski. “Porém, nenhuma das ideias são verdades absolutas.”

Os cães de companhia precisam corresponder a certas características que se adaptam ao estilo de vida do futuro tutor. “Ter um cão que se aproxime do perfil do dono é a receita para momentos de felicidade”, explica o adestrador.

Características
Antes de escolher um cão para ser o companheiro de um idoso, é necessário responder a algumas perguntas: qual é o porte ideal do cão, a personalidade que o animal deve ter, o local em que ele ficará tem espaço suficiente, há disposição para cuidar do bichinho ou dificuldades de locomoção, alergias, entre outros pontos.

Porte
O tamanho do pet é uma das principais considerações a se fazer. “Como cães de companhia, as raças pequenas têm uma certa vantagem pela facilidade no transporte, além de serem animais que adoram colo e costumam latir pouco”, indica Choinski.

O local em que o animal passará a maior parte do tempo gera discussões também, incluindo a questão “casa ou apartamento” – cães de grande porte, apesar serem capazes de se adaptar a lugares pequenos, como um apartamento, exigirão mais atividades físicas e essa responsabilidade é do tutor. Pensando nisso, no caso de idosos, cães menores são os mais indicados.

Raças
No caso de cães menores, pode-se destacar algumas raças, como o Pequinês, Shih Tzu, Pug, Maltês, Yorkshire Terrier, Poodle micro toy e Schnauzer.Contudo, as raças de grande porte também diminuem as chances de o idoso tropeçar em cima do pet. “Em alguns casos, existe a possibilidade de o cão se tornar um guia para passeios e, se adestrados corretamente, conseguem até realizar pequenas tarefas”, reforça.

Dos grandes, os indicados são os cães das raças Golden Retriever, Bernese Mountain e Labrador. “É importante também considerar a adoção de um vira-lata. Só o fato de resgatar um cão já gerará um sentimento de utilidade enorme no dono”, reforça o adestrador. “No geral, os cães resgatados demonstram muito carinho e cumplicidade.”

Idade
A adoção de um cão já adulto traz diversos benefícios, pois os filhotes ainda estão formando a sua personalidade e necessitam de mais atenção. “Neste caso, adquirir um cão maduro, cujos traços de personalidade já estão bem definidos, é a melhor escolha”, enfatiza Maurício.

Adestramento
O treinamento ajudará na interação entre o tutor e o seu animal, estreitará os laços e evitará problemas comportamentais por parte do cãozinho. Além disso, o adestramento oferece estímulos mentais e físicos para o animal e o incentiva a compreender melhor o que seu dono espera dele.
O envolvimento do tutor durante o processo de adestramento é fundamental. “Essa companhia faz os dias mais alegres e incentiva a prática de atividades físicas também nos idosos”, finaliza.

Gostou desta dica? Se quiser contratar os profissionais em comportamento animal para realizar o adestramento, fale com a Central de Atendimento da Cão Cidadão, pelos telefones: 11 3571-8138 (São Paulo) e 11 4003-1410 (demais localidades).

Minimum 6 characters

Receba dicas e novidades

No seu e-mail!




Navegue pelo site