Para continuar habilite o JavaScript



Vai ou não levar o pet na viagem da família? – Revista Cães&Cia

Postado por Cão Cidadão em 13/set/2017 -

Por Maurício Choinski, adestrador e franqueado da Cão Cidadão

Quando chega a hora de viajar e tirar férias, todo tutor tem o dilema de onde deixar o cão ou gato caso o pet não possa viajar junto. O que é melhor? Deixá-lo em hotelzinho ou em casa mesmo, com algum parente ou amigo responsável por ele? Veja os cuidados que se deve ter antes de tomar sua decisão.

Deixar em casa

Se a opção for deixar o pet em casa, existem algumas questões que devem ser consideradas. Cães podem sofrer muito enquanto você estiver fora, principalmente se não estiverem acostumados a ficar sozinhos ou se não forem treinados para isso, e podem acabar adotando comportamentos inadequados, como fazer xixi no lugar errado, destruir objetos pela casa, latir e/ou uivar por muito tempo, arranhar as portas ou ainda ficar cabisbaixos, sem comer ou beber água. Se seu cão for do tipo “sombra”, que te segue por toda a casa, treinos de pequenas separações, como impedi-lo de te seguir quando você entrar no banheiro ou quando sair até a varanda, poderão ajudar muito a reduzir o estresse que o animal sofre ao ficar sozinho. Aumentar a autoconfiança do seu amigo estimulando-o a desbravar novos ambientes durante os passeios e recompensando-o quando ele ficar em ambientes separados do seu são importantes para que ele aprenda a ser menos dependente. Até mesmo saídas com um passeador contratado podem ajudar o pet nessa superação.

Já os gatos costumam ser naturalmente menos dependentes dos tutores e permanecem mais tranquilos em suas casas que em um ambiente novo – como em hotéis ou casa de parentes. Contudo, é importante se certificar de que a casa esteja completamente fechada, com as telas das janelas bem colocadas e seguras. Assim você não corre o risco de perder seu gato enquanto viaja.

Para ambos, cães e gatos, que ficam em casa, é interessante deixar alguns locais da casa com acesso livre, principalmente aqueles onde você mais fica, pois, assim, eles poderão ter acesso a objetos que tenham seu cheiro impregnado, como peças de roupas e alguns brinquedos.

Outra opção é contratar os serviços de uma pet sitter ou pedir que alguém de confiança visite-os e cuide deles pelo menos uma vez ao dia. Afinal, muitos cães não se dão bem com comedouros automáticos, além de precisarem se exercitar e ter o seu local limpo. Gatos também precisam de interação e devem ter suas caixas de areia limpas para que não comecem a fazer as necessidades no local errado.

No hotelzinho

Se o seu pet já tem o hábito de frequentar um day care, creche ou hotelzinho, excelente! O processo de adaptação não será muito difícil. Alguns cães adoram quando chegam ao hotel e reencontram pessoas que conhecem. Caso seu pet não tenha esse hábito, procure se informar com amigos que já deixaram seus peludos nesses locais para conseguir boas referências. Mesmo assim, avalie as questões de segurança e prevenção, como a exigência de vacinas e antiparasitários antes do check-in. Pergunte como será o dia a dia do pet, se ele ficará solto, se terá recreação, se o local conta com espaço coberto em caso de chuva, se tem veterinário à disposição, etc.

Faça uma visita ao local com o pet e, se possível, aproveite para deixá-lo no hotel durante um fim de semana apenas para sentir como será a interação dele com os outros cães antes que o deixe por um período mais longo. Leve brinquedos, ração que ele costuma comer, roupas, caminha e cobertores do cão, bem como alguma peça de roupa sua quando deixá-lo lá. Objetos conhecidos e com o seu cheiro deixarão seu cão mais relaxado nesse período.

Se o assunto é hospedagem dos gatos, temos algumas preocupações adicionais, pois, para eles, ambientes desconhecidos são fatores de muito estresse e alguns gatos param de se alimentar e de beber água nessa condição. Para minimizar esse problema, dê preferência para hotéis que tenham hospedagens exclusivas para gatos, pois mesmo distante, os cheiros e latidos dos cães podem gerar muito desconforto aos gatos que não são acostumados a ficar fora de casa. Se essa escolha não for possível, opte por aqueles que têm salas exclusivas para seus bichanos, pois se eles não forem habituados a conviver com outros gatos a presença de estranhos pode gerar conflitos. Mesmo com esses cuidados, não deixe de levar a caminha, os cobertores e as suas roupas para dar mais conforto para seus gatinhos. Lembre-se de que cães e gatos devem estar vacinados e vermifugados com certa antecedência, para que possam ser recebidos como hóspedes.

Levar o amigo junto

Essa também é uma boa opção, principalmente para cães, uma vez que você pode ficar de olho no seu comportamento e, automaticamente, o bichinho sofrerá menos estando perto do seu tutor. Para isso, o primeiro quesito é consultar o veterinário para saber se a carteirinha de vacinação está atualizada, pois existem vacinas que precisam ser aplicadas com, no mínimo, 30 dias de antecedência da viagem, como a antirrábica. É importante lembrar de nunca vacinar ou vermifugar os animais de estimação muito perto da viagem, já que a ação pode causar estresse desnecessário para o peludo. Como já comentamos, ambientes novos para os gatos são um grande fator de estresse. Além de todos os cuidados com a caixa de transporte, vacinas e antiparasitários, se optar por levar o gato na viagem, proporcione condições para que o novo ambiente seja controlado a fim de evitar fugas e também gerar mais confiança no pet. Coloque-o primeiro em um cômodo fechado, com as coisinhas dele, caminha, comida, água, brinquedos e arranhadores. Observe até que ele relaxe e só depois libere-o para que conheça, aos poucos, os outros ambientes.

Viajar de carro

Nem todos os cães gostam de andar de carro, e a hora de viajar não é um bom momento para descobrir isso. O animal se mostra incomodado com passeios de carro quando baba, treme, late demais ou vomita.

O ideal é alimentá-lo com seis horas de antecedência da viagem para evitar alguns dos contratempos descritos.

Fazer a associação positiva do passeio de automóvel a algo prazeroso pode resultar na melhora do comportamento do cão em algumas semanas. Associe situações agradáveis com passeios de carro. Mostre, por meio de brincadeiras e petiscos, que entrar naquele local é muito legal. Comece com um passeio curto, por ruas pouco barulhentas. Aos poucos, aumente a dificuldade até conseguir um passeio mais longo. Se tiver dificuldades procure a orientação de um adestrador, que poderá personalizar os treinos conforme a sensibilidade do seu cão.

Outra boa solução é utilizar uma caixa de transporte. O cão e os passageiros viajam seguros e ainda o cão poderá usar a caixa de transporte como casinha e referência de local seguro no novo ambiente. Faça paradas durante o percurso e deixe o amigo dar uma volta e fazer xixi, mas sempre usando a guia para não ter nenhum acidente. Não esqueça de colocar uma coleira com identificação com seus telefones no cão.

De avião

Certifique-se de que o destino escolhido tem serviços de transporte para seu pet. Algumas companhias aéreas têm restrições para destinos nacionais e internacionais. Então, entre em contanto com as empresas de transporte aéreo com antecedência.

Depois de checar a viabilidade solicite com antecedência o serviço de transporte, para evitar indisponibilidade para data que você escolheu. Algumas empresas já permitem que seu cão viaje na cabine junto com você.

Ao chegar ao destino

De maneira geral, cães ficam tranquilos pelo fato de estarem com seus donos. Mas é importante não sair do hotel ou da casa onde estiver logo depois de colocá-lo neste ambiente novo. A dica é dar um tempo para que ele se acostume com o lugar e interaja com você.

Os gatos demoram mais para se habituar ao novo local, e costumam ficar apreensivos. O melhor é restringir um ambiente. Feche o local com todo o enxoval dele, e só deixe que tenha acesso ao resto da casa quando estiver apresentando um comportamento normal em relação à alimentação, necessidades, ao ato de tomar água e dormir.

Com isso, a viagem planejada pode ser muito mais aproveitada sabendo que o seu pet está bem e ao seu lado.

Minimum 6 characters

Receba dicas e novidades

No seu e-mail!




Navegue pelo site