Para continuar habilite o JavaScript



Como ensinar o comando “Fica” – O Vale

Postado por Cão Cidadão em 01/nov/2017 -

Alguns comandos podem ser essenciais para uma melhor convivência do pet com a sua família, porém, o comando “Fica” também é importante para a própria segurança física do cão. Infelizmente, são muito comuns os casos de fuga e/ou atropelamentos quando o tutor chega ou sai de casa. O momento de abrir a porta ou portão da residência é de maior risco para o pet. Por isso, ter o controle nesta ocasião é essencial.

O comando em si não é difícil de ensinar, mas precisamos que antes o animal aprenda o “Senta”. O ideal é sempre ensinar o cão através da indução do movimento desejado e depois recompensá-lo assim que ele realizar o movimento. No “Senta”, colocamos um petisco perto do seu focinho e fazemos um movimento com a mão para trás da cabeça do cão, assim, ele será obrigado a olhar para cima e para trás, fazendo com que naturalmente se sente para ficar mais fácil acompanhar o petisco.

Devemos sempre fazer movimentos calmos e devagar e recompensar o amigo assim que ele se sentar.

Para facilitar o aprendizado podemos utilizar uma ferramenta chamada Clicker, que nada mais é do que um marcador de acerto, que marca o momento exato em que o cão realizou o que lhe foi solicitado. Com isso, o pet entenderá de forma mais precisa qual foi o movimento que ele realizou que está sendo recompensado.

Para ensinar o “Fica” devemos estar em um ambiente tranquilo e sem distrações. Especialmente para os cães mais ansiosos e agitados, alguns limitadores podem ajudar no treino como um degrau ou mesmo um tapete para que o cão entenda melhor que se ele descer do degrau ou sair da textura do tapete ele perde o prêmio.

Primeiro devemos colocar o cão no sentado e recompensá-lo por isso, depois fazemos o movimento do “Fica” (a palma da mão virada na direção do cão), falamos a palavra FICA e damos apenas um passo para trás. Então, clicamos (com o Clicker), retornamos até o cão e lhe damos a recompensa. Quanto mais devagar você voltar e não falar com ele, mais fácil será para o amigo esperar o seu retorno. Devemos aumentar a distância devagar e de acordo com o aprendizado do pet.

Depois que o cachorro já está ficando sentado e você consegue se afastar alguns passos para trás é hora de começar a adicionar algumas dificuldades, já que no dia a dia muitas distrações podem ocorrer quando abrimos a porta de casa, por exemplo.

Devemos prestar atenção aos três “D´s”: duração, distância e distração. Não devemos aumentar mais de uma dificuldade por vez, correndo o risco de o cão começar a errar e se frustrar.

Mais importante do que qualquer coisa quando começamos a ensinar o “Fica” em portas e portões é a segurança do pet, por isso ele sempre deve estar preso a uma coleira e guia, que pode ser longa (de vários metros) e presa a um ponto fixo para simular que o cão está solto.

Boa sorte. Se precisar de ajuda, conte com um adestrador profissional.

Fonte: O Vale

Minimum 6 characters

Receba dicas e novidades

No seu e-mail!




Navegue pelo site