Para continuar habilite o JavaScript






Comportamento Animal: as emoções dos cães

Postado por Cão Cidadão em 22/jul/2016 -

dicas_interna_comportamentoanimal

 

Como será que funciona o cérebro dos cães em relação às emoções? Seria muito interessante saber, especialmente para os apaixonados pelos peludos: o que será que eles realmente sentem ao ver seu dono sair de casa, ou ao dar atenção para outro cão?

Estas e outras questões vêm sendo amplamente analisadas por cientistas ao redor do mundo e algumas conclusões podem nos deixar espantados.

  1. Ciúmes

É muito comum ouvirmos dizer que ciúmes é uma emoção complexa, exclusivamente humana. Mas um estudo australiano sugere o ciúmes pode ser demonstrado de forma primitiva e não somente pelos humanos.

  1. Percepção: o seu cão sabe como você está somente pela sua voz

Seu cachorro tem facilidade em saber como você está se sentindo somente pela entonação da sua voz. Esta capacidade se dá em razão de os cães observarem tudo ao seu redor, especialmente quando se trata da pessoa de sua referência. O comportamento animal é mesmo cheio de pontos curiosos.

  1. Seu cãozinho percebe seu humor só de te ver

Cães são capazes de identificar quando alguém, especialmente o dono, está feliz ou triste, mas em relação às consequências desses estados emocionais humanos, avaliando as expressões faciais e corporais. Isso porque são observadores natos da linguagem corporal humana.

  1. Cães e empatia

Todos os que amam cães afirmam que eles sempre estarão ao nosso lado, até mesmo em momentos difíceis.

Em uma pesquisa, conduzida pela Universidade de Londres, foram testadas três atitudes de um estranho em frente aos cães estudados: um começou a falar, outro cantarolou e, o terceiro, chorou. Na última ação do pesquisador, a reação de alguns cães foi parar o que estavam fazendo para ir até ele, o que sugeriu uma atitude de preocupação e empatia.

  1. E como funcionaria o cérebro dos cães quanto às emoções?

Em uma pesquisa, cientistas analisaram a atividade cerebral dos cães, através de ressonância magnética, e perceberam que os níveis de excitação cerebral eram alterados diante da possibilidade de ganhar uma recompensa. Ou seja, poderíamos estar diante de uma evidência de que “felicidade” é um sentimento canino também.